Cidadeverde.com

Funcionário do Imepi é preso suspeito de cobrar propina e forjar fiscalização

Um funcionário do Instituto de Metrologia do Estado do Piauí (IMEPI) foi preso sob suspeita de ter pedido propina a um comerciante em Esperantina, a 180 km de Teresina. Jocélio Ribeiro Machado foi preso nesta terça-feira (05), após a ocorrência ter sido registrada por câmeras de segurança do estabelecimento da vítima.

Crachá do funcionário do IMEPI preso por suspeita de cobrar propina para forjar fiscalização.

O servidor público é suspeito de se apresentar em comércios da região pedindo propina para não conduzir a fiscalização nos estabelecimentos. Um dos servidores procurou a polícia após a proposta de Jocélio Machado e foi orientado a fazer o pagamento do suborno.

"Ele constatou uma irregularidade e, ao invés de aplicar a multa, solicitou que o proprietário pagasse o valor de R$ 100,00 para que ele não prosseguir. O comerciante ficou indignado com a situação e procurou a polícia, sendo orientado a registrar o pagamento da propina, isso foi feito no próprio estabelecimento, pelas câmeras de segurança, que filmaram o momento que o fiscal recebeu o valor acordado", informou o delegado Leonardo Martins.

Jocélio Machado foi conduzido para a delegacia de Esperantina, onde foi autuado em flagrante pelo crime de corrupção passiva, um dos crimes praticados por funcionário público contra a administração em geral, com reclusão, de 2 a 12 anos, e multa.

"É uma conduta grave e traz como consequencia uma reprimenda grande. Ele se mostrou arrependido, mas não conseguiu apresentar uma justificativa, porque não tem. O servidor público não pode pedir valor algum para não realizar seu ofício", ressalta o delgado Leonardo Martins.

O suspeito continua preso na delegacia de Esperantina e aguarda por decisão judicial, que pode determinar um valor para a fiança e a transferência para uma unidade prisional.

Imepi Responde

O instituto de metrologia do Piauí (Imepi) informa que está ciente do processo policial investigatório envolvendo o servidor do órgão. O Imepi condena toda e qualquer tipo de prática delituosa cometida por qualquer um. O instituto informa ainda que age dentro da legalidade, respeitando a moralidade administrativa, publicidade dos atos públicos combatendo todo ilícito penal e civil, em favor da administração pública. No caso concreto, o Imepi está tomando todas as medidas cabíveis no que tange a investigação em desfavor do servidor para esclarecer o fato. A direção do instituto pede que a população sempre denuncie situações irregulares como esta para que crimes administrativos em face do instituto sejam evitados.

Lucas Marreiros (Especial para o Cidadeverde.com)
redacao@cidadeverde.com