Cidadeverde.com
Geral

Sindicato da PF reage; responde Eliardo e diz que não há corrupção

Imprimir
O presidente do Sindicato dos Policiais Federais do Piauí, Luiz Alberto da Silva, afirmou hoje (04) que não há chance de policiais que estão no Caso Fernanda Lages serem corrompidos "por quem quer que seja". O promotor Eliardo Cabral divulgou texto através do Facebook sobre uma possível influência financeira nas investigações, sem deixar claro que estaria se referindo à PF.



Luiz Alberto explicou que a Polícia Federal irá apresentar o relatório conclusivo quando terminar o prazo e esse relatório contará o que aconteceu.

"O relatório que ela apresentar será um rascunho muito bem elaborado das investigações. Vai ser o que exatamente aconteceu, mas a PF pegou um inquérito depois de muito tempo e muitas provas materiais foram perdidas. O local do crime é onde se pega todas as provas e quando é mexido modifica demais. Mas é muito difícil que isso prejudique o resultado final. A PF não vai apresentar um resultado para satisfazer quem quer que seja, mas sim um resultado que não comprometa nem seu nome ou beneficie ou prejudique alguém", declarou em entrevista ao Jornal do Piauí.

Ele nega que o silêncio da instituição sobre o caso suscite alguma dúvida sobre sua integridade. E nega ainda que os policiais sejam passíveis de qualquer tipo de corrupção, seja financeira ou política.

"Pode ser o maior empresário ou a maior autoridade da nação, como já chegamos ao ex-presidente Collor e não vejo aqui no Piauí ninguém que tenha esse poder tão grande que vá frear o trabalho da PF", disse.


Além disso, ele não acredita que o relacionamento com o Ministério Público Estadual terá alguma mudança.

Os promotores Eliardo Cabral e Ubiraci Rocha somente terão acesso aos autos do inquérito após a conclusão. A partir daí, se acreditarem necessário, poderão pedir que as investigações continuem.


Leilane Nunes
Imprimir