Cidadeverde.com
Geral

Suspeito de sequestrar Fabrício é preso e outro está foragido

Imprimir
Policiais da Delegacia de Proteção à Criança e ao Adolescente (DPCA), civis e militares fazem uma operação na região da Prainha, bairro São Pedro, zona Sul de Teresina para cumprir mandado de prisão contra Romário Campelo de Aguiar Silva, um dos suspeitos de sequestrar Fabrício José Siqueira, de 10 anos, que está a quase um mês desaparecido.

Fotos: Evelin Santos/Cidadeverde.com
Procurado pela polícia, Romário já foi preso antes, mas foi liberado

Os policiais tentam cumprir o mandado de prisão e de busca e apreensão em três residências no local. Em uma delas grande quantidade de drogas, ainda não contabilizada foi encontrada e uma moto apreendida.

Ainda ontem(15), os policiais cumpriram um dos mandados de prisão contra Luan, que seria usuário de drogas, que avisou à família que Romário havia pego o garoto, mas ao ser procurado pela polícia, Luan teria fugido.

Nesta segunda ele compareceu à delegacia acompanhado de um advogado.


Fabrício desapareceu no dia 24 de setembro, após retornar da escola, por volta do meio-dia e se dirigir a uma lan house, próxima à sua casa, porém o dono do local disse que Fabrício não esteve na loja naquele dia.

A polícia trabalha com a suspeita de que ele tenha sido sequestrado por vingança, já que seu irmão estaria envolvido com o tráfico.


Boca de fumo

Durante buscas na casa da avó de Romário, a polícia encontrou maconha, crack, faca, balança de precisão, dinheiro trocado e muitas joias. A irmã do acusado abriu a residência e colaborou com a polícia.


Segundo o chefe de investigação da DPCA, Joattan Gonçalves, a polícia mirou em uma coisa e acertou em outra. “Nós procurávamos o Romário acusado de envolvimento no desaparecimento do Fabrício e acabamos encontrando uma boca de fumo”, afirmou Joattan.


Na rua Murilo Braga, no São Pedro, uma mulher identificada como Gleissa Campelo Aguiar foi presa por desacato à autoridade e resistência. Por diversas vezes ela passou xingando os policiais que trabalhavam na operação. Ela é prima do Romário Campelo e estava na casa da avó.


Também foi preso o irmão de Gleissa, Allison Campelo, por tráfico e furto de energia.

Os policiais civis e militares continuam na região procurando pistas do paradeiro de Romário e de Fabrício.



Matérias relacionadas:





Flash de Evelin Santos
Redação Caroline Oliveira
Imprimir