Cidadeverde.com
Esporte

Kitadai volta ao Piauí após 7 anos como astro; Medalha ficou em casa

Imprimir
Não é a primeira vez de Felipe Kitadai em Teresina. No ano de 2005, ele participou de uma seletiva para o sul-americano juvenil e júnior, disputada no ginásio do Iate Clube. Ficou em segundo lugar e acabou não disputando o torneio. Já a piauiense Sarah Menezes venceu em sua categoria e representou o Brasil na competição internacional. 

Reprodução/Facebook

Sete anos depois, e agora medalhistas olímpicos, os dois se reencontraram no Piauí. Foram astros da Copa AJEF/SESC, dando autógrafos e posando para fotos no ginásio do Sesc Ilhotas neste fim de semana.

Fotos: Evelin Santos/Cidadeverde.com

"Fazia tempo que não tinha esse assédio. É muito gostoso o reconhecimento", diz Kitadai, bronze nos Jogos Olímpicos de Londres este ano. 

A medalha, que quebrou após uma queda quando o judoca tomava banho, foi substituída no dia seguinte e não veio para Teresina. Após o acidente, ela fica guardada em casa. "Dá dó, né? Vai machucar a medalha", brinca. 

Falando sério, Kitadai afirma que terá somente uma semana de férias. O ritmo de treinamentos visa garantir sua posição de titular da seleção brasileira. "Acho que eu nunca fico tranquilo, eu estou sempre trabalhando para melhorar. Meus adversários trabalham para melhorar também, está todo mundo correndo junto. Eu nunca posso ficar tranquilo", declara ao Cidadeverde.com. 


Na próxima semana, São Paulo sedia a seletiva olímpica, que definirá os representantes do Brasil na seleção principal. A vaga de Kitadai no grupo está garantida e o torneio irá apontar seu reserva e eventual candidato a titular. O piauiense Antônio Fabrício Alves é um dos convocados para disputar o lugar na categoria. 

No que depender de Kitadai, os adversários terão trabalho. Bronze no Grand Slam de Tóquio, Japão, no início do mês, ele elogiou o próprio desempenho, mas diz que precisa treinar mais. "Eu achei que não estava no ritmo que eu queria de treinamento, mas competi de uma forma excelente. Não tenho o que reclamar da minha atuação, foi a melhor possível. Eu queria ter treinado mais, mas não deixei a desejar".

Fábio Lima
Imprimir