Cidadeverde.com
Geral

Suzano confirma saída do Piauí e critica ação judicial da Procuradoria

Imprimir
O presidente da Suzano Papel e Celulose, Walter Schalka, confirmou através de teleconferência que a empresa suspendeu temporariamente as atividades no Piauí. Segundo o presidente foi investido cerca de R$ 550 milhões, desde de 2008, na fábrica do Estado. Na justificativa dada aos jornalistas, o presidente relatou que a empresa enfrenta crise financeira e também atribuiu a entraves em ações judiciais impetradas pelo Ministério Público Federal.



“Como estamos impedidos de plantar, devido ação do Ministério Público Federal e o endividamento da empresa optamos em suspender o projeto do Piauí até que surja as condições para os problemas serem resolvidos”, afirmou o presidente.

Ele ressalta que o cancelamento do projeto não tem “conotação política” e elogiou o empenho dos governos Wellington Dias (PT) e Wilson Martins (PSB).

Walter Schalka

“O governo nos deu todas as condições de infraestrutura e a fábrica da Suzano no Piauí seria uma referência internacional”, disse.

Walter Schalka disse que o endividamento da empresa se deve a queda no preço da celulose e a crise na Europa. “Há muito excessos de produção de celulose com a entrada dos mercados em Eldorado e Uruguai. E investir no Piauí era um risco inadequado neste momento”.

Ação do MPF

Na coletiva, o presidente colocou que a ação judicial do Ministério Público Federal ajudou a inviabilizar a instalação da fábrica no Estado. Segundo ele, o Ibama e o Ministério do Meio Ambiente entendem que as licenças devem ser estaduais, mas o Ministério Público insiste em federalização das licenças. 



“Suspendemos o planto por decisão de liminar em Teresina e em Brasília e estamos impedidos de plantar”, ressaltou o presidente.

Frustração

Walter Schalka disse que entendia a frustração do governador Wilson Martins. Ontem, o governador classificou como uma quebra de acordo a suspensão da empresa no Piauí. 

“Entendo o governador, não é uma frustração só dele, mas também nossa. Agradecemos o empenho do senador Wellington Dias e do governador em dar todas as condições para a Suzano”.

Maranhão

Ele confirmou que a fábrica do Maranhão será mantida e que irá suspender os projetos de energia renováveis em terras maranhenses.

“O projeto do Maranhão está num estágio mais avançado e com colheita de madeira.Não teve nenhuma diferença de lojista entre o Piauí e o Maranhão. A decisão de suspender o projeto do Piauí não tem relação com infraestrutura”, garantiu  Walter Schalka. 


Flash Yala Sena
Imprimir