Cidadeverde.com
Geral

Familiares reclamam da falta de médicos de plantão do HUT

Imprimir
Familiares de pacientes que procuraram o Hospital de Urgência de Teresina (HUT) na madrugada desta segunda-feira (11) reclamam da falta de médicos para o atendimento de pacientes. Duas pessoas denunciaram ao CidadeVerde.com a falta de otorrino e ortopedista e a demora no atendimento. 


Marcio Machado levou o irmão Marcos Vinícius ao HUT após este sofrer um acidente por volta das 4h30 de hoje. “O hospital é um verdadeiro açougue humano. Quando chegamos não tinha ortopedista ninguém que fizesse o raio x. Depois que eu reclamei, arrumaram alguém, a muito custo fizeram o raio x, mas até as 8h o médico não tinha chegado”, reclamou.

A dona-de-casa Maria José de Sousa Silva levou sua filha de 18 anos que estava com um incômodo no ouvido. “Ela estava dormindo quando um bicho entrou no ouvido dela. Eu cheguei de madrugada e disseram que iam chamar o otorrino que estava de sobreaviso, mas ele nunca apareceu. A enfermeira é que colocou um remédio para diminuir a dor forte que a minha filha estava sentindo, mas é preciso tirar o que está lá dentro”, indignou-se a senhora. 

O CidadeVerde.com tentou várias vezes contato por telefone com o diretor e a assessoria de imprensa do hospital, mas até a publicação desta matéria, não obteve sucesso. 

Na semana passada, o presidente da Fundação Hospitalar de Teresina, Aderivaldo Andrade, negou que os médicos plantonistas do HUT estivessem recebendo supersalários, desmentindo informações do Portal da Transparência. Segundo o site, que divulga os gastos da administração pública, um médico plantonista havia recebido naquela unidade, no mês de agosto deste ano, R$ 42 mil. O gestor disse que os dados estavam defasados e o máximo que um plantonista recebe é de R$ 28 mil.  

Flash de Caroline Oliveira
Carlos Lustosa Filho
Imprimir