Cidadeverde.com
Últimas

Marcolândia: Comerciante é preso acusado de pedofilia e estupro contra 7

Imprimir

Fotos: Marcolândia em Foco

Um comerciante identificado como Orlando João da Silva, 50 anos, foi preso pela Polícia Militar acusado de estupro e pedofilia no município de Marcolândia, a 410 km de Teresina. Segundo o comandante do GPM, tenente Francisco de Assis, pelo menos sete crianças com idade entre 9 e 14 anos foram abusadas sexualmente, sendo que três são irmãs. 

"Ele foi preso após uma das meninas de 11 anos sair correndo aos gritos do comércio. Os vizinhos acionaram a PM e no local encontramos um vasto material com conteúdo pornográfico", explica o tenente. 

De acordo com a PM, o acusado era monitorado há seis meses. A violência contra as menores estaria ocorrendo há cerca de um ano, em um quarto anexo ao comércio. 

"Encontramos quase 30 DVDs, chupeta, pacotes de biscoito e pipoca que eram usados para atrair as crianças. Duas das vítimas revelaram a participação de uma segunda pessoa, identificada apenas como Nenem, que seria responsável por aliciar as menores", reitera o comandante do GPM de Marcolândia. 

O tenente Francisco de Assis ressalta que as vítimas, que confirmaram a participação de Neném, revelaram que recebiam de R$ 5 a R$ 30 por encontro com o acusado. 

As menores também confessaram, que antes de praticar o ato libidinoso, o acusado utilizava um aparelho de  DVD, colocando filmes pornográficos, onde as menores eram obrigadas a fazer tudo o que estava no filme e que o acusado sempre matinha relação com mais de uma menor ao mesmo tempo.

"Ele seria uma espécie de agenciador e não foi encontrado. As crianças confessaram o que ocorria na presença da Polícia Militar, Conselho Tutelar e familiares. Antes de praticar o ato libidinoso, o comerciante utilizava um aparelho de DVD, colocando filmes pornográficos, onde as menores eram obrigadas a fazer tudo. Ele é suspeito de manter relação com mais de uma menor ao mesmo tempo .Elas ainda eram ameaçadas de morte", reitera o comandante. 

As vítimas serão submetidas a exames de Corpo de Delito em um hospital do município de Simões. O caso está sendo investigado pelo Delegado Regional Ferdinand Martins.

Graciane Sousa
[email protected]

Imprimir