Cidadeverde.com
Geral

Após audiência no Ministério Público, Centro de Zoonoses terá reforma emergencial

Imprimir

Em audiência realizada nesta quinta-feira (23) no Ministério Público Estadual (MPE), a prefeitura de Teresina informou que o Centro de Controle de Zoonoses será reformado de forma emergencial e que um novo espaço deverá ser construído. O processo licitatório para a reforma será iniciado em 60 dias. Entidades protetoras afirmaram que vão acompanhar as ações.

A Fundação Municipal de Saúde (FMS) informou que a construção de um novo Centro de Correição depende apenas de emendas parlamentares que serão destinadas à obra. A Fundação já possui um projeto para a criação do espaço, que será feito na Santa Maria da Codipi, zona Norte de Teresina. O local abrigará novos canis e gatis para atender os animais.

De acordo com Jéssica Almeida, integrante da ONG Protetores de Patinhas, as medidas anunciadas durante o encontro são bastante positivas, mas devem ser fiscalizadas pelas entidades para que sejam cumpridas. As discussões sobre a situação do Centro começaram depois que uma integrante da ONG fez um vídeo mostrando a situação em que os animais eram abrigados. 

“Vamos acompanhar tudo isso para garantir que os animais sejam abrigados de forma digna e que o Centro não seja apenas um local de sacrifício dos animais. Queremos também que no local os exames para detecção da leishmaniose não aconteça apenas de forma clínica”, declarou.  

Participaram da audiência o presidente da Fundação Municipal de Saúde (FMS), Luciano Nunes, a gerente do CCZ, Oriana Bezerra, além de representantes da Secretaria Municipal de Planejamento (Semplan), da Secretaria Municipal de Finanças e da Procuradoria Geral do Município (PGM), além de entidades protetoras dos animais. 

No último dia 13, em audiência na Câmara Municipal de Teresina (CMT), a Prefeitura de Teresina se comprometeu a fazer melhorias no Centro. Uma reforma já está programada, aguardando apenas a liberação de recursos. 

Atualmente a Gerência de Zoonoses de Teresina coordena programas de controle da Dengue, Febre Amarela e Chikungunya; Leishmaniose Visceral; Animais Sinantrópicos; Roedores; Animais Peçonhentos; Raiva Canina; Raiva dos Herbívoros; Quirópteros e Animais Errantes. Além disso, oferece serviço de Orientação Clínica à comunidade, bem como realiza exames para o diagnóstico de Raiva, Leishmaniose e Entomologia. A FMS pretende implantar também programas de controle de natalidade de pequenos animais, Malária, Chagas e Esquistossomose.

Imprimir