Cidadeverde.com
Geral

Doações e verba da Petrobras manterão Parque Serra da Capivara até outubro

Imprimir

A presidente da Fundação Museu do Homem Americano (FUMDHAM), Niède Guidon, informou ao Cidadeverde.com que repasses da Petrobras em atraso desde o ano passado vão garantir a permanência de funcionários no Parque Nacional Serra da Capivara até outubro. Cerca de 50 funcionários já cumpriam aviso prévio devido à situação financeira do Parque

"Este ano ainda não assinamos nenhum contrato, não tivemos nada garantido, mas estamos recebendo doações de pessoas sensibilizadas com a situação e temos esse repasse de 2014 que a Petrobras vai nos transferir agora. São cerca de R$ 60 mil", declarou. 

Segundo ela, o grande problema do local é a falta de dinheiro para o pagamento dos trabalhadores do Parque, declarado em 1991 Patrimônio Cultural da Humanidade pela Organização das Nações Unidas pela Educação, Ciência e Cultura (Unesco).

Devido ao problema, um processo de demissão em massa foi iniciado no início desse mês. O efeito direto da ausência dos trabalhadores é a falta de segurança no espaço. 

Das 28 guaritas existentes, somente 12 estavam ocupadas. A ação de vândalos teve início e até placas solares e privadas foram roubadas.

Apesar da ajuda no momento, a instabilidade financeira compromete o funcionamento do Parque.

A pesquisadora aguarda posicionamento do governo federal, após reunião do deputado federal Paes Landim (PTB) com a presidente Dilma Rousseff (PT), no início de agosto. 

O Parque

O Parque Nacional Serra da Capivara abriga a maior concentração de sítios arqueológicos atualmente conhecida nas Américas, com mais de mil sítios cadastrados. Nos abrigos, além das manifestações gráficas, encontram-se vários vestígios da presença do homem pré-histórico, com datações mais antigas conhecidas no continente americano. A região abriga 173 sítios arqueológicos abertos à visitação.

O Parque foi criado através do Decreto de nº 83.548 de 5 de junho de 1979 e sua proteção foi ampliada pelo Decreto de nº 99.143 de 12 de março de 1990. Foram criadas as Áreas de Preservação Permanentes adjacentes, com total de 35.000 hectares.

Localizado no semi-árido nordestino, fronteira entre duas formações geológicas, com serras, vales e planície, o parque abriga fauna e flora específicas da Caatinga.

 

Maria Romero
[email protected] 

Imprimir