Cidadeverde.com
Geral

Detento é morto com perfurações antes de banho de sol na Casa de Custódia

Imprimir
  • 19092015111601.jpg Lucas Marreiros/Cidadeverde.com
  • 19092015111602.jpg Lucas Marreiros/Cidadeverde.com
  • 19092015111603.jpg Lucas Marreiros/Cidadeverde.com
  • 19092015111604.jpg Lucas Marreiros/Cidadeverde.com
  • 19092015111605.jpg Lucas Marreiros/Cidadeverde.com
  • 19092015111606.jpg Lucas Marreiros/Cidadeverde.com

Atualizada às 9h55min

O detento identificado como Francisco Egilson da Costa Carneiro foi morto com várias perfurações na manhã deste sábado (19) dentro da Casa de Custódia de Teresina. De acordo com Vilobaldo Carvalho, diretor jurídico do Sinpoljuspi, o preso foi assassinado por outros internos pouco antes da abertura das celas para o banho de sol. O crime ocorreu no pavilhão E.

"Estamos apurando as circunstâncias da morte e como isso aconteceu. Sabemos que ele foi morto com perfurações de armas brancas. Segundo informações repassadas para a gente, ele chegou ontem de São Raimundo Nonato", explicou Vilobaldo.

De acordo com o Sinpoljuspi, o detento já havia sofrido uma tentativa de homicídio no pavilhão F da Casa de Custódia. "Normalmente, quando o preso chega de outra unidade, ele é encaminhado para o pavilhão H, onde funciona a triagem. Mas o próprio Francisco pediu para não ser colocado no pavilhão H porque temia ser morto e pediu para ir ao pavilhão E", relatou Vilobaldo.

No local, Kleiton Holanda, diretor administrativo do Sinpoljuspi, informou que os presos usaram vergalhões arrancados da cela para ferirem Francisco. O detento respondia por três homicídios. "Ele estava andando em outras prisões do Estado para que fosse garantida a sua segurança, então foi trazido aqui para a Casa de Custódia onde acabou morrendo com incontáveis perfurações no corpo, deixando até um ferro cravado em seu pescoço", afirmou Kleiton Holanda.

A Delegacia de Homicídios foi chamada ao local para conduzir a perícia criminal. De acordo com o delegado Higgor Martins, existe a suspeita de pelo menos três detentos terem cometido o crime. "Fizemos a perícia e já temos os indícios de que três detentos podem ter cometido o crime. A motivação teria sido por conta de desafeto já que a diretoria da Casa de Custódia nos informou que o preso teria participação em alguns homicídios da unidade", afirmou o delegado.

Neste sábado são realizadas visitas à presos da Casa de Custódia, mas os detentos do pavilhão serão isolados. A entrada dos demais visitantes ainda não foi permitida e os presos estão sendo reagrupados.A perícia do Instituto Médico Legal de Teresina foi enviada ao local para realizar os primeiros trabalhos.

Flash de Lucas Marreiros (Direto do Local)
Rayldo Pereira
[email protected]

Imprimir