Cidadeverde.com
Últimas

Paciente do Maranhão morre na porta do HGV sem socorro médico

Imprimir
Em meio ao turbilhão de informações e dúvidas no processo de transferência do Pronto Socorro do Hospital Getúlio Vargas para o Hospital de Urgência de Teresina, um agricultor do Maranhão morreu na tarde desta terça-feira (29) sem ter a chance de ser atendido. Ele foi levado de táxi até o HGV, e teria morrido sem socorro na porta do hospital. A direção do HGV nega negligência, e diz que o homem já chegou morto ao local.
 

 
Regivaldo da Conceição Brito, 25 anos, morava na cidade de Bom Lugar, do Maranhão. Ele foi levado de táxi para o Pronto Socorro do HGV. A família atestou no local que o paciente estava vivo quando chegou no hospital, e acusou a equipe de negligência pela demora no atendimento.
 
Em nota, o HGV respondeu que a pessoa já chegou morta ao hospital. O paciente teria vindo do Maranhão para se tratar no Piauí, e estaria hospedado em uma pensão. Na versão do Pronto Socorro do Estado, uma pessoa deixou o táxi para chamar o maqueiro, e quando a equipe chegou para atendê-lo, o paciente estava morto. O HGV nega que o processo de transferência tenha relação com a morte do paciente.
 
O médico que atendeu o paciente no HGV, Deninberg Costa, constatou que Regivaldo morreu após entrar em choque devido a perda de muito sangue (hemorragia interna).
 
A Fundação Municipal de Saúde - FMS -, informou por meio de sua assessoria que o paciente não passou pelo HUT antes de chegar ao HGV.
 
  • Veja a íntegra da nota
Hospital Getúlio Vargas
NOTA OFICIAL
 
A direção do Hospital Getúlio Vargas informa que o paciente Regivaldo da Conceição Brito, 25 anos, agricultor, Residente na cidade de Bom Lugar/Maranhão, já chegou morto no Serviço de Pronto-Socorro do HGV. O paciente chegou de Taxi e foi constatado que já se encontrava morto. O médico plantonista que o atendeu Deninberg Costa constatou a causa morte como:
 
CHOQUE HIPOVOLÊMICO se refere a uma condição médica ou cirúrgica na qual ocorre perda rápida fluída que resulta no fracasso de múltiplos orgãos. A maior parte dos choque hipovolêmico é secundária a perda rápida de sangue 
(choque hemorrágico)
 
DIÁTESE HEMORRÁGICA
Nome dado a um grupo de doenças cujo sintoma comum é uma tendência à hemorragia. Essa diátese é devida, em parte, à diminuição do tempo de coagulação do sangue e, em parte, a lesões vasculares. A hemorragia pode ocorrer na pele, nas mucosas, nas articulações, espontaneamente ou sob o efeito de causa externa. Entre os diversos casos de diátese hemorrágica podemos citar a hemofilia, a doença de Von Willebrand, a tendência à hemorragia no escorbuto, etc. O tratamento é dirigido para suprir os fatores de coagulação necessários;
 
DISCRASIA SANGUINEA
Discrasia é uma alteração sanguínea, do tipo de leucopenia, agranulocitose ou anemia aplásica, que pode produzir-se pelo uso de determinados medicamentos psicoativos, tais como a carbamazepina, a clorpromazina e a clozapina;
 
POLIGOÊMIA UNIVERSAL.
Tags:
Imprimir