Cidadeverde.com
Geral

CREA constata falhas em pousada onde turista morreu ao fazer selfie no Piauí

Imprimir
  • pousada8.jpg
  • pousada7.jpg
  • pousada6.jpg
  • pousada5.jpg
  • pousada2.jpg
  • pousada1.jpg

A vistoria realizada pelo Conselho Regional de Engenharia e Agronomia (CREA) constatou falhas de manutenção na pousada de Barra Grande, onde o cardiologista goiano Paulo César de Carvalho Telles, 57, caiu e morreu ao tirar uma selfie em 30 de dezembro de 2015. Na manhã dessa segunda-feira (29), o CREA divulgou relatório que mostra as inspeções feitas em 21 pousadas e hotéis nas praias de Barra Grande, Macapá, Maramar, Coqueiro, Atalaia e Barrinha. 

Segundo o coordenador da Câmara Especial de Engenharia Civil do CREA, Teodoro da Silva Reinaldo, que comandou as vistorias, a pousada Casa Tartaruga, onde ocorreu o acidente, apresenta a madeira da varanda já deteriorada e utiliza material inaquedado para a construção. 

"O encaixe entre as peças do guarda-corpo foi feito com pregos que facilmente oxidam e perdem a resistência. O material deveria ser de madeira serrada com parafusos", disse. 

O CREA constatou ainda a falta de manutenção na cobertura de palha e falta de tratamento na madeira. O relatório feito será encaminhado ao Corpo de Bombeiros, à Prefeitura de Luís Correia e ao Ministério Público para as devidas providências. 

A comissão - formada por quatro engenheiros do CREA - realizou as vistorias após o acidente com o turista e analisou desde o alvará de funcionamento até a estrutura física propriamente. 

Na véspera do Réveillon, no dia 30 de dezembro, o casal de médicos da cidade de Rio Verde (GO) - a obstetra Leânia Garcia Telles, 57, e o cardiologista Paulo César de Carvalho Telles, 57 - caiu de uma altura de cerca de três metros ao se apoiar no guarda-corpo da varanda do hotel para fazer uma selfie. Ela teve fraturas pelo corpo e sobreviveu, mas o marido morreu após 20 dias internado. 

 

Flash Yala Sena
[email protected]

Imprimir