Cidadeverde.com
Esporte

Na classe Star, Scheidt vê bronze perto e já pensa no ouro

Imprimir

Bicampeão olímpico da classe laser, o brasileiro Robert Scheidt, que nos Jogos Olímpicos de Pequim compete ao lado do proeiro Bruno Prada na classe star, não descarta a possibilidade de ainda conseguir a medalha de ouro na capiutal chinesa.

Após um início de competição ruim, a dupla subiu da oitava para a terceira colocação na classificação geral nesta quarta-feira, com três terceiros lugares conquistados em três regatas.
 
 
A uma regata (medal race) do fim, os brasileiros têm 47 pontos perdidos. A liderança está com a dupla da Suécia, que tem 33 pontos perdidos, contra 35 dos velejadores britânicos Iain Percy e Andrew Simpson, segundo colocados.

"Vamos brigar pelo bronze. Foi uma reação muito importante. Velejamos como deveríamos ter feito durante toda a semana", afirmou Scheidt, que tem três medalhas olímpicas: ouro em Atlanta-1996 e Atenas-2004 e prata em Sydney-2000, todas na classe laser.

Scheidt e Prada ainda têm chances de conquistar a medalha de ouro, mas, para isso, precisariam ganhar a medal race (regata final, que tem peso dois), que acontece nesta quinta-feira, e torcer para os suecos chegarem no mínimo em oitavo e o barco do Reino Unido, em sétimo. Outras combinações também podem render o primeiro lugar do pódio aos brasileiros.

"Não acredito que eles [Suécia e Reino Unido] devam se preocupar apenas um com o outro porque tem mais gente atrás, mas é mais realístico pensar no bronze", admitiu o bicampeão, que está preocupado com os barcos da França e da Suíça, que estão em quarto e quinto lugares, respectivamente.

"A diferença é pequena, mas vamos lá. É melhor entrar na frente do que atrás. Não podemos partir para cima do barco francês [quarto lugar com 51 pontos], porque o suíço está pouco atrás [quinto, com 55]", afirmou.

"Acho que será um dia para estar bem certo das decisões a se tomar tomar e correr para conseguir fazer tudo direito", completou o bicampeão.
 
 

Fonte: Folha

Tags:
Imprimir