Cidadeverde.com
Esporte

Brasil 'atropela' a China e encara a Itália na semifinal

Imprimir
Com muita facilidade, a seleção brasileira masculina de vôlei venceu a China por 3 sets a 0 nesta quarta-feira e se classificou para a semifinal dos Jogos Olímpicos de Pequim. As parciais da partida válida pelas quartas-de-final da competição foram de 25/16, 25/15 e 25/16.



Agora, para chegar à decisão do torneio, o Brasil terá que bater a Itália, que também nesta quarta superou a Polônia. O jogo será uma reedição da última final olímpica, em Atenas/2004, quando os brasileiros conquistaram a Olimpíada pela segunda vez na história (o primeiro título foi em Barcelona/1992).

A seleção comandada pelo técnico Bernardinho tem evoluído nos Jogos de Pequim. Após o frustrante quarto lugar na Liga Mundial, cuja fase final foi disputada no Rio de Janeiro, a equipe parece ter reencontrado o seu melhor voleibol, que tornou o time quase imbatível nos últimos anos.

Até o momento, o Brasil soma cinco vitórias e uma derrota nos Jogos Olímpicos. O único resultado negativo aconteceu diante da Rússia, ainda na primeira fase, em um jogo equilibrado.

Já o confronto desta quarta serviu mais como um treino para a seleção. Sem Anderson, 'reserva de luxo' de Bernardinho que foi poupado após sentir uma lesão, a equipe não precisou fazer muita força para impor sua superioridade sobre o fraco adversário.

No primeiro set, os chineses aproveitaram a empolgação da torcida para manter a partida equilibrada no início. No entanto, bastou o Brasil começar a forçar um pouco o saque para abrir uma boa vantagem.

Com Giba e André Heller como destaques em quadra, os brasileiros passaram a bloquear e contra-atacar de forma eficiente e fecharam o primeiro set em um lindo ponto de Samuel, que não precisou nem enfrentar o bloqueio.

Nos sets seguintes, a situação ficou ainda mais tranqüila para o time de Bernardinho. Sem muito trabalho, a seleção brasileira fez um ponto atrás do outro e não encontrou qualquer resistência. A China não conseguiu encaixar sequer um bloqueio durante todo o confronto.

O Brasil fechou o segundo set em um belo ponto de Giba, que não deu nenhuma chance para os adversários.

No terceiro set, as duas equipes entraram em quadra já sabendo que o jogo não duraria muito tempo. Os chineses já estavam entregues e só esperaram a seleção chegar aos 25 pontos, meta atingida com um ponto de Gustavo.
Tags:
Imprimir