Cidadeverde.com
Esporte

Nadadora segue o caminho de Sarah Menezes e foca Olimpíada

Imprimir

Fábio Lima - reportagem especial e fotos
[email protected]

Não é exagero dizer que os feitos de Sarah Menezes no judô podem, e estão sendo repetidos por Moema Sales na natação. A primeira judoca piauiense a disputar um Mundial começou a ensaiar participações em torneios internacionais aos 14, 15 anos, como a nadadora. Idade com a qual Moema fatura suas primeiras medalhas em Olimpíadas Escolares, assim como fez Sarah. Referências femininas em suas modalidades, elas possuem currículos distintos, mas que se confundem quando o assunto é quebrar barreiras. E se Sarah Menezes foi a primeira judoca piauiense em uma Olimpíada, porque não Moema, única medalhista internacional da história da natação do Estado, ser a primeira nadadora?

Para isso, ainda falta muito, mas talvez menos do que se imagina. Em outubro, ela segue para seu segundo Pan Pacífico na Bolívia, depois de garantir vaga nos 50m livre, 50m borboleta, e 100m livre. No ano passado, duas pratas e dois bronzes, cada cor em uma prova individual e outra de revezamento. Antes disso, ela já havia feito muito mais. De tantos nomes na natação piauiense que se destacaram nacionalmente, como Bruno Mota, Belizário Neto, Teresa Nascimento, entre outros, nenhum deles conquistou medalhas fora do país. Mais ainda: nenhum deles competiu fora do país. Se pensarmos que Moema tem apenas 14 anos, seguindo esse ritmo ela poderá estar aos 16 anos disputando as grandes provas nacionais.
  • Confira na semana que vem!
    Os futuros líderes da nova geração do Judô do Piauí
Aos 17 anos, sem sonhar muito, tentará índice para o Pan de Guadalajara, no México. Se conseguir, terá mais chances de se classificar para Londres 2012. "Eu tenho o sonho de disputar uma Olimpíada. Quero ir ao Pan de 2011 e aos jogos de 2012. Isso vai depender do meu desempenho e do meu esforço até lá", disse Moema.

Disputar uma Olimpíada? Modéstia... Mas ela sabe que tem potencial para tentar mais de uma participação em Jogos, quem sabe até no Rio de Janeiro em 2016, caso a cidade vença a disputa contra Chicago, Madri e Tóquio. E além do esforço da atleta, vai depender do esforço dos que a cercam, e do apoio de empresários e autoridades. Depois disso, ninguém vai lembrar da comparação "Sarah das piscinas", e sim da Moema Sales, entrando para a história do esporte piauiense mais uma vez..

Moema tem ajuda de nutricionista

Se engana que com 14 anos Moema Sales é acompanhada apenas pelo técnico Emanoel Menezes, que a treina desde os seis anos de idade. Hoje, a nadadora tem orientação técnica, física, e nutricional para poder ter chances reais de se confirmar como uma das nadadoras de ponta  do país. Trabalho que não começou agora.


Moema Sales e o técnico Emanoel Menezes: parceria de oito anos

"Estou tentando fazer com a Moema aqui o que fazem com as grandes atletas no sul do país. Quando ela tinha 10 anos, alertei para a mãe dela o que era preciso para se chegar em um determinado nível aos 12. Quando ela chegou aos 12 anos, já estavamos pensando no que precisava ser feito para quando ela chegasse aos 14", explicou o treinador, que trabalha de duas horas e meia a três horas diárias com a nadadora na AABB. Até mesmo no domingo, em véspera de competições.

O cardápio da estudante é determinado pela nutricionista Conceição Carvalho. Só a parte de musculação foi suspensa como medida avaliadora. Os técnicos querem saber como o corpo de Moema vai reagir aos treinamentos sem a atividade específica, para verificar seu rendimento e estudar as melhores formas de seguir com a preparação da atleta.

 
Ao lado de Anderson Carlos, Moema recebe o Troféu Carlos Said
 

Nadadora supera marcas e dificuldades

Além de superar recordes e barreiras da natação piauiense, Moema Sales tem pela frente outros grandes desafios. Ela reconhece que falta estrutura para a natação no Piauí, mas não vê isso como problema. O que atrapalha mesmo é a falta de patrocínio.

Contemplada pelo Bolsa-Atleta Estadual, que destina menos de um salário mínimo mensal, Moema Sales precisa de patrocínio até para viajar para o Pan Pacífico, pois a Confederação Brasileira de Desportos Aquáticos não banca todas as despesas da seleção brasileira no torneio internacional.


Moema recebe medalha do presidente da federação, Francisco Andrade

Apoio dos pais não falta, mas o bolso começa a ficar vazio muito cedo com os avanços da nadadora. Para uma ou outra ocasião, o Credishop deu aquela força. Mas garantia de patrocínio fixo é um sonho igual a competir em Londres 2012.

Isso sem contar que o Piauí tem apenas duas piscinas olímpicas de 50m. Ao competir no Jockey, atletas treinados em clubes com 25m ou menos sentiram as dificuldades, mas Moema não encara isso como desculpa. "Seria muito melhor que tivéssemos mais piscinas de 50 metros, mas Ricardo Prado treinava em uma piscina de 25m e era um bom nadador", falou a decidida nadadora, que sobra na piscina nas provas locais, mas tem a humildade para posar nas fotos com as colegas de prova no topo do pódio.

Tags:
Imprimir