Cidadeverde.com
Cidades

Polícia apreende carga de cigarro avaliada em mais de R$ 500 mil

Imprimir

Fotos: Deccortec

A Delegacia Especializada de Crimes Contra a Ordem Tributária, Econômica e Contra as Relações de Consumo (Deccortec) apreendeu uma carga de cigarro contrabandeada avaliada em cerca R$ 650 mil. O material ilegal foi apreendido após a carreta que transportava o carregamento tombar na BR-230, na altura do município de Fronteiras, a 400 km de Teresina. 

"A Deccortec faz esse monitoramento permanente para coibir o contrabando de cigarros. Já apreendemos mais de 200 caixas em outras operações e somente agora em Fronteiras foram quase 700 caixas de cigarros. O acidente ocorreu, provavelmente, quando o motorista dormiu ao volante. Quem faz esse tipo de transporte ilegal opta por dirigir à noite para fugir da fiscalização. Para aguentar várias horas acordados, eles tomam rebite e supomos que o motorista dessa carreta tenha dormido ao volante", disse Marcelo Sousa, coordenador de investigações da Deccortec.

Parte da carga foi saqueada por moradores. Policiais civis e militares da região foram acionados para evitar que todo o carregamento fosse levado. 

Em entrevista ao Cidadeverde.com, o coordenador disse ainda que o condutor do veículo se evadiu no local. A carga de cigarro estava camuflada em papelões. "No veículo encontramos várias notas fiscais de carga reciclada (papelão) que foram tiradas para camuflar o cigarro contrabandeado", reitera.

Marcelo Sousa explica que o caminhão permanece retido no interior do Piauí. Já a carga foi trazida para Teresina e se encontra na Receita Federal. O motorista, o proprietário da carreta e o dono do carregamento já foram identificados e serão responsabilizados criminalmente por contrabando. 

"Além do prejuízo financeiro e de responder criminalmente, o dono da carga vai ter que pagar uma multa cobrada pela Receita. Por cada carteira de cigarro, a multa é em média de R$ 3. Então, só de multa, ele vai ter pagar mais de R$ 1 milhão. Vender caigarros contrabandeados não compensa mais, uma vez que, a pessoa pode ser presa em flagrante, perder a mercadoria e ainda pagar multa. Estamos coibindo veementemente este tipo de crime e vamos chegar a fonte (a pessoa que distribue)", finaliza Marcelo Sousa. 

Os cigarros vinham provavelmente do Maranhão e deveriam ser entregues no Ceará. 


Graciane Sousa
[email protected]

Imprimir