Cidadeverde.com
Geral

Concurso dos Bombeiros para soldados deve ser anulado

Imprimir

O secretário de Segurança Pública, Fábio Abreu Costa, afirmou que a tendência é que o concurso para soldados do Corpo de Bombeiros seja anulado, após a deflagração da Operação Vigiles, que resultou na prisão de 30 pessoas e teria envolvimento de mais de 70% dos alunos que participam do curso de formação.

"Vamos conversar com o setor jurídico, nos reuniremos com o governador para termos uma ideia sobre a suspensão total do concurso. Vamos retirar aqueles que, de forma ilícita, conseguiram estar na lista de aprovados e classificados. Cabe ressaltar que alguns dos classificados que, em tese, também seriam chamados, tiveram participação na fraude. A ideia é que provavelmente se anule esse concurso em relação aos soldados", explica Abreu.

A investigação do Grupo de Repressão ao Crime Organizado (Greco) investiga fraude no concurso do Corpo de Bombeiros de 2014. Além das vagas para soldados (90 masculino e 10 feminino) foram ofertados cargos para oficiais (nove masculino e um feminino). 

"No concurso houve provas para soldados e para oficiais. Estes últimos estão matriculados, fazendo os respectivos cursos fora do Estado, a maioria em Goiás. No concurso para oficiais não conseguimos identificar nenhuma fraude, no entanto, fazem parte do mesmo certame. O nosso objetivo é não prejudicar que não teve envolvimento na fraude e procurar responsabilizar aqueles que têm envolvimento", explica o secretário de Segurança. 

Operação Vigiles

A operação Vigiles foi deflagrada na última quinta-feira (17).  Ao todo, foram expedidos 36 mandados de prisões, 35 mandados de conduções coercitivas e 71 mandados de busca e apreensão. 

Além dos presos no dia em que foi deflagrada a ação policial, outros se entregaram no dia seguinte. No total, 30 pessoas foram presas, mas apenas 26 permanecem detidas. Fábio acredita que mais investigados devem se apresentar espontaneamente nos próximos dias. 

"A maioria deles confessou participação na fraude e tinham mandados de prisão temporária de cinco dias. Esperamos que mesmo os suspeitos que têm mandados de prisão preventiva se apresentem pois, caso contrário, serão considerados foragidos e terão fotos divulgadas pelas redes. O ideal é que quem ainda não se apresentou, se entregue com seus advogados", ressalta o secretário. 

As informações apuradas durante a Vigiles subsidiarão investigações para apurar fraudes em outros certames no Estado. 


Graciane Sousa
[email protected]

Imprimir