Cidadeverde.com
Cidades

Piauiense: Vereador de Osasco é preso na operação Caça-Fantasma

Imprimir

Francisco de Paula/ Foto: Reprodução/Facebook Francisco de Paula

Na quinta fase da Operação Caça-Fantasmas, o Ministério Público de São Paulo cumpriu, nessa terça-feira (6), 14 mandados de prisão preventiva contra vereadores e 15 mandados de busca e apreensão deferidos pela 2ª Vara Criminal da cidade. Dentre os presos está o vereador de Osasco, em SP, que é piauiense natural de Pimenteiras, Francisco de Paula (PSDB).

Mais dez parlamentares foram presos. Quinze promotores de Justiça cumpriram os mandados. A PM apoiou a operação com um efetivo de 80 homens. A Justiça também decretou a prisão preventiva do prefeito eleito de Osasco, Rogério Lins (PTN), que atualmente é vereador da cidade. Além dele, mais 13 dos 21 parlamentares da Câmara Municipal tiveram a prisão decretada.

Desde que foi deflagrada, em agosto de 2015, a Operação Caça-Fantasmas investigou um esquema fraudulento para a contratação de funcionários fantasmas na Câmara Municipal de Osasco. O Ministério Público ofereceu denúncia contra 14 vereadores, de 11 partidos diferentes, e 205 assessores fantasmas pela prática dos crimes de organização criminosa e de estelionato, em estruturada organização criminosa voltada para a lesar os cofres públicos. Até o momento, identificou-se o desvio de R$ 21 milhões.

De acordo com a Promotoria, os vereadores cobravam um percentual dos salários dos funcionários fantasmas.

Além das prisões, a Justiça determinou o afastamento do cargo público de todos os assessores denunciados. 
Até o momento, já foram realizados quatro acordos de delação premiada com agentes corruptos e mais de R$ 200.000,00 estão sendo devolvidos aos cofres públicos, sendo que tais acordos já foram homologados na Justiça Criminal.

Abaixo, a lista dos vereadores presos:

André Sacco (PSDB)
Alex da Academia (PDT)
Batista de Sousa Moreira (Batista Comunidade) (PTdoB)
Francisco de Paula de Oliveira Leite (de Paula) (PSDB)
Josias da Juco (PSD)
Jair Assaf (PROS)
João Góis (PT)
Valdomiro Ventura da Silva (PTN)
Toniolo (PCdoB)
Rogério Antônio da Silva (PRB)

Outros que tiveram prisão preventiva decretada foram Andrea Capriotti (PEN), que está internada; Rogério Lins (prefeito eleito pelo PTN) e Karen Gaspar (PTdoB); que estão viajando, e Olair Prado de Oliveira (PHS), considerado foragido.

 

Fonte: MP/SP

Imprimir