Cidadeverde.com
Últimas

'Rodovida': colisões frontais nas BRs do Piauí caíram pela metade em 2 anos

Imprimir

A Polícia Rodoviária Federal (PRF) inicia nesta sexta-feira (16) a Operação Integrada Rodovida Cidades 2016/2017. Por meio das ações de fiscalização e educação no trânsito, os acidentes do tipo colisão frontal, considerados os mais graves, caíram de 168 em 2014 para 90 em 2016, uma redução de quase 50%.  

Foi registrada diminuição ainda nos casos de atropelamento de pessoa - 84 para 55 de 2014 para 2016. No mesmo período, a PRF registrou queda nos casos de colisão lateral - 613 para 203; colisão transversal - 418 para 232 e saída de pista - 181 para 158. 

Rodovida

Segundo a polícia, a Operação Rodovida tem por objetivo prevenir acidentes e diminuir a violência no trânsito nas rodovias federais durante o período de fim de ano, férias escolares e Carnaval, quando o movimento nas estradas é intenso.

Ocorrendo simultaneamente em todo o Brasil entre dezembro e março, a Rodovida tem como prioridade a atuação em pontos críticos das rodovias federais. Esses pontos foram elencados através de análises de dados estatísticos que apontam trechos com maior necessidade de reforço na fiscalização.

Piauí

No Piauí, o lançamento da Operação Integrada Rodovida Cidades 2016/2017 foi realizado às 09h do dia 16 em uma fiscalização integrada com outros órgãos na Avenida Nossa Senhora de Fátima, em frente ao Jockey Clube. 

Além disso, a PRF desenvolverá ações na frente da Superintendência da PRF, na Avenida João XXIII e na rotatória de acesso ao bairro Porto Alegre e à Vila Irmã Dulce. 

Haverá uma ação integrada com outras forças de segurança pública para anunciar o lançamento das ações. 

A Operação Integrada Rodovida Cidades conta, no Piauí, com o trabalho da Polícia Rodoviária Federal, DETRAN, Polícias Civil e Militar e STRANS dos municípios.

Foco

A PRF tem como prioridade o combate às infrações de trânsito relacionadas ao excesso de velocidade, embriaguez ao volante, ultrapassagens proibidas. Além dessas infrações, o uso correto de equipamentos como cinto de segurança, cadeirinhas para crianças e capacetes também é alvo da fiscalização.

Custo Social

Estima-se que o custo social de acidentes em rodovias federais no ano de 2014 foi de cerca de R$ 12,8 bilhões, de acordo com levantamentos do Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (IPEA) e da PRF. 

O resultado da pesquisa aponta que um acidente fatal gera um custo médio de R$ 647 mil, enquanto o acidente com vítima gera um custo de R$ 90 mil. Os acidentes sem vítimas ficam em R$ 23 mil. 

Segundo a diretora-geral da PRF, Maria Alice Nascimento, o trabalho realizado pelo órgão contribuiu para a redução do número de mortos por acidentes de trânsito nas rodovias federais, gerando uma redução estimada na tendência equivalente à R$ 6,8 bilhões de reais nos últimos quatro anos. 

“Esse foi um resultado extremamente significativo, pois demonstra que o trabalho com diagnóstico é importante. Utilizando os recursos humanos e as tecnologias em locais estratégicos, conseguimos reduzir o número de mortes no país e quantificar isso é muito importante para nós”, destacou.

 

Maria Romero com informações da PRF
[email protected]

Imprimir