Cidadeverde.com
Geral

Associação denuncia desmandos na Guarda Municipal de Timon

Imprimir


Os guardas municipais de Timon/MA estão elaborando uma notícia-crime para entregar ao Ministério Público do Maranhão, denunciando irregularidades que acontecem dentro da sede da Guarda Municipal da cidade maranhense. Eles estão recebendoo apoio jurídico da Abmepi (Associação dos Bombeiros Militares do Piauí).

Segundo os guardas, que não quiseram se identificar temendo represálias, as irregularidades começam na nomeação dos inspetores que fiscalizam seus serviços. ?Existe um inspetor, que foi Cabo da PM do Maranhão e está aposentado por invalidez, mas foi chamado para trabalhar na Guarda. Ele é o que mais comete abuso de poder. Como é que pode, se ele saiu da PM por não poder mais realizar trabalho ostensivo??, questionou um dos denunciantes.



Além de abuso de autoridade, os guardas denunciam assédio moral, perseguição e prevaricação. ?Eles colocam os guardas em forma, sendo que é uma função civil e não militar, se pronunciam de forma degradante como: bobalhão da corte, rei da cocada preta; colocam a gente para fazer faxina e nos impõem um regimento interno baseado no regimento do Exército, desvirtuando do ponto devista institucional de um órgão civil?, explica o guarda municipal.

A Lei que cria a Guarda Municipal de Timon é de 1995, mas apenas em2006 foi realizado o primeiro concurso público. Os primeiros 90

guardas foramnomeados em janeiro de 2008. Os guardas denunciam ainda que, em nove meses de serviço, pelo menos 80 dos 89 que estão em exercício, já sofreram algum tipo de advertência, aproximadamente 50 foram repreendidos, cerca de dez já sofreram suspensão com desconto nos salários e dez estão sendo ameaçados de exoneração. De acordo comeles, em quase todos os casos de forma irregular.
 
Os guardas pediram apoio da Abmepi, porque no próprio regimento interno proíbe a liberdade de expressão dos profissionais. ?No regimento tem uma cláusula que veta os guardas declararem suas vontades em jornais impressos e na TV, que sejam contrárias as do comando. Por isso, abraçamos essa causa e estaremos lutando pelos direitos dos guardas municipais de Timon, que faz parte da grande Teresina e nosso estatuto, como Associação, permite?, enfatizou SargentoFlaubert Rocha, presidente da Abmepi.
Tags:
Imprimir