Cidadeverde.com
Economia

Progere II inicia suas atividades no Território dos Cocais

Imprimir

O secretário Francisco Limma, acompanhado de sua equipe técnica e do representante do Banco Mundial Emmanuel Bayle , estiveram neste domingo (04) participando de reunião no assentamento São João Batista, município de Piripiri.

A reunião teve como objetivo discutir o projeto-piloto apresentado pela Cooafrut, que beneficiará 24 famílias dos assentamentos São João Batista, Cachoeira, Poço, Várzea e comunidade Olho D água Grande. O projeto proporcionará a ampliação da produção através dos quintais produtivos e assim ampliará a geração de renda através venda nos espaços de comercialização local.

A diretoria do STTR de Piripiri e técnicos do CEAA também participaram da reunião. O Programa de Geração de Emprego e Renda (Progere II) faz parte das ações do Projeto Pilares do Crescimento e da Inclusão Social do Governo do Estado do Piauí em parceria com o Banco Mundial e que engloba outras secretarias como Semar, Seduc, Sesapi, Interpi, entre outras.

O objetivo do Progere II é apoiar as iniciativas produtivos com potencial de sustentabilidade e desenvolvimento da economia local em cada um dos territórios. Aqui no Piauí, o programa deve priorizar projetos das cadeias produtivas de artesanato, ovinocaprinocultura, apicultura, mandiocultura, fruticultura e quintais produtivos.

No Território dos Cocais estão sendo desenvolvidos quatro projetos-pilotos tendo como foco principal as mulheres rurais. São eles: quebradeiras de coco babaçu, em Esperantina; apicultores do vale do rio Piracuruca, e dois de quintais produtivos sendo um em Piripiri voltado para fruticultura e que deverá produzir matéria-prima para uma cooperativa de beneficiamento de frutas; e outra em Batalha, que deverá produzir matéria-prima para fábricas de panificação e bolos.

Para as famílias envolvidas, a expectativa da geração de renda é animadora. "Estamos empolgados por fazermos parte desse projeto piloto. Queremos fazer de tudo para que ele seja bem desenvolvido porque só vai melhorar a nossa vida", ressaltou a agricultora Maria Helena Gomes Veras, do assentamento Várzea, em Piripiri.

Além de iniciar seis projetos pilotos em três territórios até o final de 2017, a expectativa é realizar mais 30 novos projetos. Cada projeto recebe um investimento total que varia entre R$ 150 mil e R$ 200 mil. Até o final da fase II do Progere, a SDR tem como meta efetivar 120 projetos, englobando aproximadamente 3 Mil famílias.

"A prioridade do Progere é a viabilidade de realização e de sustentabilidade de cada projeto, fortalecendo a comunidade envolvida e a economia dessas famílias", explica o Diretor do Programa Francisco.

Imprimir