Cidadeverde.com
Geral

Terreiro de Umbanda é depredado e mãe de santo lamenta intolerância religiosa

Imprimir
  • terreiro-08.jpg
  • terreiro-11.jpg
  • terreiro-10.jpg
  • terreiro-09.jpg
  • terreiro-07.jpg
  • terreiro-06.jpg
  • terreiro-05.jpg
  • terreiro-04.jpg
  • terreiro-03.jpg
  • terreiro-02.jpg
  • terreiro-01.jpg

Um terreiro de Umbanda foi invadido e depredado por bandidos na madrugada desta quarta-feira (21) no loteamento Cidade Verde, zona Sudeste de Teresina. Por dentro, foram quebradas imagens de santos, uma porta de vidro e foi violado o espaço chamado de 'quarto sagrado', usado para práticas religiosas. Do lado de fora foram quebradas dezenas de garrafas de cerveja roubadas do próprio terreiro. A Mãe de Santo, Ester de Iansã, responsável pelo templo, denunciou o caso ao 8º distrito de Polícia Civil, no bairro Dirceu, e acredita ser um crime de intolerância religiosa.

"O prejuízo maior que tivemos foi a violação do nosso sagrado. Não levaram absolutamente nada e olha que tinham coisas de valor lá dentro. Infelizmente só pode ser um crime de intolerância. Tínhamos tambores, peças de cristal, prata e nada foi levado. Eu me sinto triste e insegura", desabafou.

A umbandista explica que vizinhos do local viram a movimentação e avisaram trabalhadores da casa que chegaram a ir até o terreiro, mas não conseguiram encontrar ninguém. Além de danificado o local foi deixado sujo e bagunçado pelos criminosos.

A delegada titular do 8º DP, Alexandra Santos confirmou ao Cidadeverde.com que recebeu a denúncia e acrescentou que na tarde de hoje foram realizadas diligências e  procedimentos referentes ao caso.

Os frequentadores do terreiro fizeram o trabalho de limpeza do local. A Mãe de Santo lamenta o ocorrido e se diz humilhada com a prática. "Eu como sacerdotisa me sinto humilhada porquê nós vivemos num Estado que é laico e todo mundo tem direito a ter a sua religião. Mesmo que a gente não goste da religião a gente tem que respeitar", lamentou.

Rayldo Pereira
[email protected]

Imprimir