Cidadeverde.com
Esporte

Ladrões invadem casa de jogador do Chile e levam mais de R$ 6 milhões em bens

Imprimir

O atacante chileno Mauricio Pinilla , que ficou marcado por acertar o travessão do Brasil no último minuto da prorrogação das oitavas de final da Copa do Mundo de 2014, denunciou à polícia nesta segunda-feira o roubo de joias, relógios e outros objetos avaliados em 1,6 milhões de euros (cerca de R$ 6 milhões) do seu apartamento em Santiago, no Chile .

De acordo com a esposa do jogador , Gisela Gallardo, as câmeras de segurança registraram a entrada de pessoas quando o apartamento estava vazio, isto é, no momento em que a seleção chilena estava em campo contra a Alemanha , pela final da Copa das Confederações , neste domingo.

Em declarações à imprensa local, o atacante de 33 anos, que apesar de não ter sido convocado para a Copa das Confederações, entrou em campo pela La Roja em mais de 40 jogos e marcou oito gols, disse que os autores do roubo tinham informações prévias, já que eles entraram facilmente no condomínio e, após entrar eu seu apartamento, foram diretos ao quarto principal, onde estava o cofre com as jóias, relógios e outros objetos valiosos.

"Levaram cerca de 1.600 milhões de euros, todas as nossas jóias, tudo o que juntamos em 14 anos morando fora do país", afirmou Pinilla, que passou rapidamente pelo Vasco da Gama em 2008.

A polícia investigativa chilena já tomou as medidas necessárias para esclarecer o caso. A imprensa local especula que Mauricio Pinilla negocia para voltar à Universidad do Chile, clube onde ele iniciou sua carreira, apesar do contrato com o Genoa, atual time do atacante, ser válido até o final da próxima temporada.

Carreira

Com 33 anos, Pinilla começou sua carreira no Universidad do Chile, como falado acima, em 2002. A partir daí, passou por muitos clubes na Europa, principalmente na Itália.

No Cagliari, foi onde teve mais sucesso. Em duas passagens, por empréstimo e depois em definitivo, fez mais de 60 jogos e balançou as redes mais de 20 vezes. O jogador foi convocado para defender as cores do Chile pela primeira vez em 2003.


Fonte: IG

Imprimir