Cidadeverde.com
Política

Firmino diz que comerciantes não vão impedir obra da N. S. de Fátima

Imprimir
  • 9fa15bfa-d6ec-4319-b2e3-db8026abf620.jpg Rômulo Piauilino/Semcom
  • 0d9b39df-2659-4a50-84bf-74303362d94e.jpg Rômulo Piauilino/Semcom
  • 37991537-761c-4775-a53c-f81c5418ac5b.jpg Rômulo Piauilino/Semcom
  • 7ece3606-d5a7-4652-bf54-abfef6b7e122.jpg Rômulo Piauilino/Semcom
  • 7bd6e24f-bba9-4487-8d9f-1d1ec158a592.jpg Rômulo Piauilino/Semcom
  • 1c1030fc-40b8-4c7e-9a54-2a2c27ccc001.jpg Rômulo Piauilino/Semcom

O prefeito de Teresina Firmino Filho visitou, na manhã desta sexta-feira(28), as obras em andamento na zona Leste de Teresina, entre elas, a polêmica obra de revitalização das calçadas do polo gastronômico na avenida Nossa Senhora de Fátima. O gestor é enfático ao afirmar que as críticas dos empresários não vão impedir a continuidade da reforma. 

“Teresina teve um crescimento exorbitante da frota de veículos nos últimos anos. Hoje são mais de 460 mil veículos nas ruas da capital e os pedestres sofrem com isso. Os carros tomam de conta das calçadas e é impossível se deslocar em Teresina sem precisar andar pelas ruas, isso é um absurdo. O que a prefeitura está fazendo é coerente para tornar a cidade amigável aos pedestres”, justificou. 

Firmino considerou as críticas “uma visão provinciana de um problema gigantesco”. “O que estamos fazendo é tirando os carros das calçadas, não é tirando o estacionamento. Estacionar em cima das calçadas não é correto, além disso, os motoristas terão as ruas perpendiculares e paralelas para estacionar seus veículos”, afirmou.

Na manhã de hoje, os empresários da avenida Nossa Senhora de Fátima foram até a SDU Leste tentar entender o projeto junto aos responsáveis pela obra. A reunião foi intermediada pela vereadora Graça Amorim (PMB), mas a única ação que ficou definida foi uma nova reunião na próxima segunda-feira (31) na sede da Secretaria Municipal de Planejamento com a arquiteta responsável pela reforma.

“Vamos conhecer o projeto e debater a situação como um todo, porque até agora estamos sem informações”, disse Ana Raquel, uma das empresárias do local. A principal queixa dos empresários da avenida é quanto à falta de informação sobre o projeto e a falta de segurança para os clientes que vão estacionar longe da loja, fato que, segundo eles, pode provocar a perda de clientes e a consequente queda do faturamento, num período em que a economia ainda está em crise.   

Terminais de integração

Outra obra visitada nesta manhã, foi o terminal de integração da avenida Presidente Kennedy. De acordo com o prefeito, todo o sistema estará pronto em até dois anos e ajudará a resolver o impasse do excesso de veículos em Teresina dando estrutura para a população optar pelo transporte coletivo. 

“A elite de Teresina gosta de andar de ônibus e metrô no exterior e passear pelas calçadas, mas aqui cada um quer andar no seu carro e estacionar em cima das calçadas. Nós estamos trabalhando para entregar Teresina para as pessoas e não para os veículos”, destaca. 

O prazo para os terminais do Dirceu entrarem em pleno funcionamento foi adiado para o final de setembro (por enquanto eles funcionam apenas nos finais de semana como sistema de tema). Os terminais da zona Norte estão sendo finalizados e os da zona Sul devem ser concluídos em dezembro. Já os da zona Leste ainda não tem prazo definido. 

 


Flash de Jordana Cury
Redação Caroline Oliveira
redacao@cidadeverde.com

Imprimir