Cidadeverde.com
Viver Bem

Hipnose é usada no tratamento auxiliar de doenças físicas e mentais

Imprimir

A hipnose leva a um estado modificado da consciência favorecendo o acesso às emoções e lembranças. É usada para facilitar mudanças na percepção e no comportamento. Durante a hipnose o paciente passa por várias etapas: relaxamento do corpo e da mente, diminuição da resistência (crítica, razão), estado de devaneio que permite que sentimentos aflorem e transe. No estado hipnótico o paciente fica aberto a sugestões porque sua resistência diminuiu. O mecanismo mental e cerebral é alterado com as sugestões do hipnoterapeuta. O estado hipnótico é um estado de relaxamento semi-consciente no qual há contato sensorial do paciente com o meio ambiente. O transe é induzido gradualmente através da fadiga sensorial provocada pelo terapeuta usando a voz, de forma calma, monótona, rítmica e persistente. Quando o transe ocorre, a sugestibilidade do paciente aumenta, o que requer um elevado nível ético do terapeuta. A hipnose leva a alterações da percepção sensorial, das funções intelectuais, da memória, da atenção e motoras. Estabelece-se um estado de alteração da consciência, um estado que simula o sono, mas não o é. O paciente não dorme na hipnose. O eletroencefalograma (EEG) do paciente sob hipnose é de vigília, e não de sono.

O que pode ser tratado pela hipnose
A hipnose clínica (ou hipnoterapia) é uma técnica usada no tratamento auxiliar de doenças físicas e doenças da mente: dores, insônia, fobias, medos, ansiedade, estresse, tabagismo, gagueira, auto-estima, perdas (mortes, casamento, namoro), obesidade, preparação para cirurgias, distúrbios de conduta, procedimentos odontológicos, problemas no relacionamento conjugal e familiar, depressão, problemas de sexualidade, uso de drogas, problemas da memória, tiques, aids, etc.

A hipnoterapia também ajuda no desenvolvimento interior, no desbloqueio emocional para idiomas e nas dificuldades de aprendizagem.

A hipnose otimiza o tratamento médico ou psicológico, reeduca o paciente, gerando saúde.

A hipnose não é um tratamento em si. Os diferentes métodos terapêuticos usados pela medicina, odontologia, psiquiatria e psicologia podem ser realizados melhor e mais rapidamente com a hipnose. Uma das vantagens é reduzir o tempo de tratamento e otimizar o uso das outras técnicas.

A hipnose não é um tratamento milagroso.

A hipnose não cura as doenças por magia ou forças sobrenaturais.

A hipnose nada tem com ocultismo, técnica mística, esotérica ou religiosa.

A hipnose clínica (ou hipnoterapia) é reconhecida pelos órgãos oficiais de saúde como um tipo de tratamento usado por médicos, psicólogos e dentistas.

A hipnose é usada por profissionais nos consultórios, clínicas e nos melhores hospitais no exterior e no Brasil, como é o caso do Hospital das Clínicas de São Paulo.

Qual profissional pode usar a hipnose?

APENAS os psicólogos, médicos e dentistas com cursos de especialização em hipnose.

Médicos psiquiatras e psicólogos têm a formação acadêmica adequada para dianosticar e tratar de doenças ou transtornos de ordem mental e emocional. Dentistas usam a hipnose para analgesia (tratar a dor).

Psicólogos, médicos e dentistas têm o seu código de ética que regula a atuação do profissional.

 

Fonte: Psicologia 10

Imprimir