Cidadeverde.com
Geral

Operação prende vigia suspeito de ser líder e vender droga dentro de escola

Imprimir

Ampliada às 12h22

Por meio de nota,  a Secretaria de Estado da Educação (Seduc) informou que o vigia suspeito de comercializar drogas em escolas públicas no Estado foi demitido. Hugo Correia da Silva, era lotado na Escola Família Agrícola dos Cocais, de São João do Arraial, por meio de contrato temporário. 

Na nota consta ainda que, após a prisão, o suspeito foi  substituído imediatamente, de forma que a unidade não ficou sem agente de portaria. 

"A Seduc  está acompanhando de perto o caso e, de acordo com as autoridades policiais, apesar de ter sido constatada a venda nas dependências da escola , não há indícios de comercialização de entorpecentes para os alunos", finalizou a nota da Secretaria. 


A Polícia Civil prendeu um vigia no município de São João do Arraial suspeito de ser o líder do tráfico durante operação deflagrada na manhã desta quarta-feira (13). Hugo Correia da Silva, vulgo Gabinha, 29 anos,  fazia segurança da escola agrícola da cidade e vendia drogas dentro do colégio. Três pessoas foram presas e uma quarta já estava no presídio de Esperantina. Eles vão responder por crimes de tráfico de drogas, roubos e furtos. 

O delegado Arthur Leal, de Matias Olímpio, disse que a investigação já dura um ano e aponta o vigia como líder.

"Os clientes entravam em contato por telefones e pegavam as drogas dentro da escola ou na porta dos fundos", disse o delegado. 

Segundo Arthur Leal a quadrilha usavam o dinheiro  para comprar armas e alugar carros e motos para fazerem assaltos na região. 

Foram apreendidos um revolver calibre 38 com numeração raspada, uma balança de precisão, R$ 220 em dinheiro, 120 em moeda cocais e uma quantidade em maconha.

 

Atualizada às 7h30

Uma operação da Polícia Civil do Piauí, deflagrada na madrugada desta quarta-feira (13), desarticulou uma associação criminosa suspeita de tráfico de drogas, roubos e furtos. As investigações apontaram que o esquema funcionava  há mais de um ano, inclusive, com a venda de entorpecentes em escolas públicas.

De acordo com o gerente de Polícia do Interior, delegado Everton Ferrer,  o dinheiro do tráfico era usado  para  adquirir armas de fogo e motocicletas que eram usados em novas ações criminosas. 

Foram expedidos seis mandados de prisão e seis mandados de busca e apreensão e, até o momento, quatro suspeitos foram capturados. A operação foi articulada pela delegacia de Matias Olímpio. O grupo criminoso teria atuação nas cidades de São João do Arraial, Campo Largo e Esperantina.


Graciane Sousa e Yala Sena
redacao@cidadeverde.com

Imprimir