Cidadeverde.com
Geral

Advogado foi morto por ter recusado a entregar celular, diz preso em delegacia

Imprimir

Atualizada às 08h01 de 15/09/17

Mais dois suspeitos são procurados por participação na morte do advogado Ozires de Castro Machado Neto, 28 anos. O atirador foi apontado como Francinaldo dos Santos Batista, vulgo Neném, preso ontem (14). O coordenador da Delegacia de Homicídios, Francisco Costa, o Baretta, conta que um dos comparsas teria “dado a parada” após perceber que a vítima estava com “um celular de primeira”. 

Neném foi preso no Parque São Jorge, zona Sul. Na casa dele foi apreendida uma camisa com manchas de sangue. 

"Eles estavam na mureta do colégio só esperando para atacar. A vítima estava com o vidro do carro baixo, manuseando o aparelho celular. O comparsa de Neném vê e diz: o cara está com um telefone bom, de primeira, de cima... vamos fazer esse aí que é o suficiente para hoje. Nesse momento, o Neném se aproxima da vítima com a arma em punho, anuncia o assalto e, segundo ele, a vítima não entrega e tentar partir. Então, o Neném dá o primeiro tiro que pega no carro. O rapaz manobra o veículo e o suspeito dá o segundo tiro de curta distância, segundo ele, porque a vítima reagiu", explica Baretta.

Matéria original

Policiais da Delegacia de Homicídios prenderam um dos suspeitos de assassinar o advogado Ozires de Castro Machado Neto, 28 anos, crime ocorrido na última segunda-feira, dia 11.

O preso é Francinaldo dos Santos Batista, vulgo Neném. O delegado Francisco Costa, o Baretta, descartou a hipótese de execução e afirmou que o advogado foi morto durante assalto a um celular. Em depoimento, o preso revelou que o advogado foi morto por ter se recusado a entregar o aparelho telefônico. O bando, um dia anterior, realizou assalto a um restaurante no bairro Bela Vista.

A prisão ocorreu na vila Parque São Jorge, no bairro Santo Antônio. Segundo a Polícia, Francinaldo foi quem atirou no advogado e confessou em depoimento a autoria do crime. 

"A vítima parou o veículo próximo onde estavam os criminosos e ficou manuseando o celular com o vidro do carro aberto e eles viram o celular e anunciaram o assalto. A vítima reagiu e não entregou o celular, então ele efetuou o primeiro disparo. Neste momento, o advogado tentou manobrar o veículo e o criminoso efetuou o segundo tiro que foi na cabeça da vítima", contou o delegado Baretta.

A quadrilha, segundo o delegado, no dia anterior tinha realizado um assalto a um restaurante no bairro Bela Vista. Eles usaram um veículo gol vermelho que foi apreendido pela polícia. 

Segundo o delegado Baretta, Francinaldo  teria agido com pelo menos três comparsas. 

A equipe de investigação realizou a apreensão das roupas utilizadas pelo suspeito durante o crime, além do veículo do Gol de placa  LWL-4131, que foi utilizado para o apoio da ação criminosa. 

Em nota, a Polícia Civil disse que as diligências continuam para a realização da prisão do motorista do carro que estava no apoio e para a prisão do segundo suspeito que participou da abordagem ao advogado.

A Delegacia de Homicídios informou que os suspeitos praticaram vários roubos na zona sul de Teresina e que são autores do assalto praticado no dia 10 deste mês no bairro Bela Vista. A Delegacia de Homicídios ressaltou ainda que disponibiliza o número 181 para denúncias anônimas.

O presidente da OAB-PI, Chico Lucas, parabenizou a atuação da delegacia de homicídios na elucidação dos fatos e prisão do acusado.

“A Polícia Civil do Piauí deu uma resposta rápida à sociedade com a prisão do acusado. Esperamos que nas próximas horas os demais também sejam presos. Estamos acompanhando as investigações a fim de garantir que os acusados paguem pelo crime cometido, no rigor da lei”, disse.

Advogado foi socorrido com vida e morreu no hospital

 

Flash Yala Sena
yalasena@cidadeverde.com

Imprimir