Cidadeverde.com
Viver Bem

Quem sofre com o medo exagerado de morrer, sente pavor de muitas situações

Imprimir

O medo é um sentimento natural quando está em proporção adequada dentro de nós e com isso consegue nos proteger. Porém, quando a sensação fica maior, chegando a:

- Impedir alguém de fazer uma leitura saudável da vida e dos fatos
- Privar profundamente a capacidade de ações e tomada de escolhas
- O medo bom é aquele que serve de alerta, medo ruim é aquele que impede o bom andamento da vida. O maior medo do ser humano é o medo de morrer. A morte, para muitos, representa o fim. A maior parte das pessoas tem instinto de sobrevivência forte para se defender e se livrar de perigos, afastando assim, qualquer possibilidade com a morte. Porém, nem todas as pessoas estão num estado emocional qualificado para melhor proteção. E com isso, "brincam" com o perigo, desafiam as regras e condutas vivenciando experiências próximas da morte.

O problema acontece quando as pessoas vivenciam o medo de forma intenção e ao invés de haver a proteção, o medo aprisiona e limita a vida. Assim, algumas pessoas acabam por:

- Viver grande parte do tempo em casa sem querer sair (algumas pessoas deixam de passear, viajar, ir a festas, trabalhar, visitar amigos e família) para evitar problemas ou situações de perigo com medo da morrer
- Outras não andam de avião com preocupação de que haja um acidente e consequentemente a morte
- Não dormir no escuro para se sentirem protegidas e evitar qualquer incidente que possa levar a morte.
- É importante perceber que o maior problema vem da associação de algo normal mais a possibilidade de morte, ou seja, avião, carro, escuro, solidão, etc.

As vezes, o medo de morrer vem em forma de preocupação excessiva com a saúde. Cuidar da mente e do corpo é fundamental. Mas todo excesso é prejudicial. Ir ao médico, fazer exames de rotina, busca ajuda quando há um problema é muito bem recomendado. Porém, as idas constante exagerada ao médico sem indicação, demonstram um descontrole emocional maior que o problema físico (se houver) em si...

O medo faz parte do quadro de ansiedade e, muitas vezes, está ligado a síndrome do pânico e depressão. Na síndrome do pânico o medo não é pontual e específico de algo que se possa evitar para diminuir o sofrimento ou pensamentos ruins, mas um mal estar geral, uma preocupação maior, inclusive gerando a sensação de morte eminente. Na depressão falta energia e há tristeza. Dentre tantos pontos que podem, infelizmente, contribuir para o mergulho na depressão, um deles é o sensação de incapacidade para lidar e gerenciar a vida. Não superar o medo pode geral sentimentos de fracasso e perda.

Quem sofre com o medo exagerado de morrer, sente pavor de muitas situações que na mente da pessoa está associado a morte. Os sintomas mais comuns são:

Coração acelerado
Boca seca
Dor no corpo por haver tensão muscular
Pensamento acelerado
Ideias negativas
Desespero.

 

Fonte: Minha Vida

Imprimir