Cidadeverde.com
Esporte

São Paulo aguarda decisão de Kaká para elaborar plano por volta do ídolo

Imprimir

A volta de Kaká ao São Paulo não é tão simples quanto parece. As duas partes ainda ponderam se será benéfica uma terceira passagem do craque pelo Morumbi.

A diretoria do clube aguarda uma decisão do jogador sobre a continuidade de sua carreira para pensar no assunto com mais firmeza. Por enquanto, ainda não houve contato firme entre as partes, apenas conversas cruzadas.

Na semana passada, Kaká anunciou que não renovará seu contrato com o Orlando City (EUA) que vence no fim deste ano. Na mesma entrevista, deixou seu futuro aberto. Ele não disse que pretende retornar ao São Paulo, embora essa sempre tenha sido uma das possibilidades, nem falou sobre pendurar as chuteiras agora.

Essa última não está descartada. Ele está aberto a ouvir boas propostas de outros setores, como Japão e China. O que está praticamente definido é que o meia, que está com 35 anos, só jogará mais uma temporada.

O São Paulo também espera por conta disso. Quer saber o que Kaká, aos 35 anos, deseja para sua carreira. Os dirigentes têm em mente que o jogador não pode ser visto como um diferencial técnico e nem que jogue todas as partidas caso seja contratado. Até por isso, acreditam que o ídolo terá de fazer uma boa readequação financeira se quiser encerrar a carreira no Tricolor.

Na passagem anterior de Kaká, segundo semestre de 2014, o São Paulo desembolsava cerca de R$ 500 mil mensais de salário para ter o ídolo - o equivalente ao desembolsado para ter Hernanes hoje. O restante era pago pelo Orlando, que aceitou emprestá-lo por seis meses antes de utilizá-lo na Liga Norte-Americana. Lá, o craque recebia cerca de R$ 23 milhões por temporada, quase R$ 2 milhões mensais, valor inviável para o futebol brasileiro.

Por outro lado, ainda está na memória dos dirigentes os benefícios que a passagem de Kaká trouxe ao time em 2014. Comprometido e líder num elenco que tinha nomes como Ganso, Pato e Luis Fabiano, virou exemplo para os demais. Muitos no clube acreditam que o meia foi responsável por motivar Ganso a viver uma de suas melhores fases no clube. O São Paulo acabou sendo vice-campeão brasileiro e terceiro lugar na Copa Sul-Americana.

Esse, aliás, é outro fator que pode pesar. Alçado ao profissional em 2001, ano em que ajudou o clube a conquistar o Torneio Rio-São Paulo, Kaká não tem um título de expressão pelo clube. 

Na primeira passagem, sofreu derrotas amargas para o Corinthians e caiu nas quartas de final do Brasileiro de 2002 para o Santos aós liderar com folga toda a primeira fase, com um time que chegou a ser comparado ao Real Madrid. O desejo de encerrar com um título pelo clube do coração pode seduzir o ídolo.

O presidente Carlos Augusto de Barros e Silva já disse que deverá ter uma conversa com Kaká para falar dessa possível volta, mas isso só deve acontecer após o término do Campeonato Brasileiro. O Tricolor briga contra o rebaixamento e precisa focar na complicada situação.


Fonte: Terra

Imprimir