Cidadeverde.com
Geral

PF realiza operação para prender 13 pessoas por corrupção no PI/CE/MA

Imprimir
  • IMG_7131.JPG Graciane Sousa/Cidadeverde.com
  • pppfff.jpg Graciane Sousa/Cidadeverde.com
  • pfff.jpg Graciane Sousa/Cidadeverde.com
  • pf-ddddd.jpg Graciane Sousa/Cidadeverde.com
  • pf-dd.jpg Graciane Sousa/Cidadeverde.com

Atualizada às 10h41 

A todo momento policiais chegam na sede da Polícia Federal com materiais apreendidos durante a Operação Argentum. Durante a coletiva, o delegado confirmou que Antônio Parambu e sua esposa, assim como três sobrinhos estão entre as 13 pessoas pessoas presas na ação da Polícia Federal. 

Matéria original

A Polícia Federal deflagrou nesta quinta-feira (26) a operação "Argentum" para o cumprimento de 13 mandados de prisão temporária e seis mandados de condução coercitiva. Entre os alvos está o ex-prefeito de Prata do Piauí, Antônio Parambu. Desde as primeiras horas desta quinta-feira (26) estão sendo cumpridas mandados judiciais em municípios do Piauí, Ceará e Maranhão. A denúncia é de desvio de recursos do Fundef. 

O ex-gestor é investigado por suposto desvio de recursos do Fundo de Manutenção e Desenvolvimento da Educação Básica e de Valorização dos Profissionais da Educação (Fundeb) no fim do mandato. Este ano, a Justiça Federal já havia determinado o bloqueio de bens de Antônio Parmabu no valor de R$ 2,7 milhões. 

Veja a nota da PF

A Superintendência Regional da Polícia Federal no Piauí deflagrou na manhã de hoje, 26/10/2017, a Operação Argentum, que desarticulou organização criminosa que atuava nos Estados do Ceará, Piauí e Maranhão.

O inquérito policial foi instaurado em abril/2017 em decorrência de inspeção realizada pela Controladoria-Geral da União que constatou contratações irregulares e movimentações bancárias atípicas com recursos federais recebidos pelo município de Prata do Piauí, em dezembro de 2016, a título de precatório da complementação da União para o FUNDEF no valor aproximado de R$ 2.730.000,00 (dois milhões, setecentos e trinta mil reais), atraindo a incidência dos delitos de apropriação e/ou desvio de recursos públicos, corrupção, associação criminosa/organização criminosa e lavagem de dinheiro. 
A investigação revelou que empresas, tendo como sócios parentes do ex-prefeito e que atuam nestas como “laranjas”, foram utilizadas para a ocultação de patrimônio em seu favor, em ação de lavagem de dinheiro, através da criação de uma farmácia e um posto de combustíveis.   

A ação de hoje, que conta com a participação de 110 Policiais Federais do Maranhão, Ceará e Piauí, tem como objetivo dar cumprimento a 21 mandados de busca e apreensão, 13 mandados de prisão temporária e 6 mandados de Condução Coercitiva expedidos pela 3ª Vara da Seção judiciária do Piauí, executados nas cidades de Caxias e Timon, no Maranhão, Teresina, Demerval Lobão, Prata do Piauí, Crateús, Independência, Parambú e Tamboril, no Ceará. 

Também foi determinada a apreensão de veículos de luxo, sequestro de bens e bloqueio de contas dos principais envolvidos no esquema. 

A investigação e cumprimento dos mandados foram realizados em parceria com a rede de controle, com a participação de servidores da Controladoria Geral da União, TCU (Tribunal de Contas da União) e Tribunal de Contas do Piauí  (TCE).

O nome da Operação faz alusão ao elemento químico Prata, nome da cidade beneficiada com os recursos desviados do FNDE, cujo nome em latim é Argentum.   

Será concedida entrevista coletiva às 10:30H, no auditório desta Superintendência Regional.

 

Graciane Sousa
[email protected]
Com informações Notícia da Manhã

Imprimir