Cidadeverde.com
Geral

Corpo de jovem desaparecido após prisão é achado no rio Poti

Imprimir
  • isaias.jpg
  • rio.jpg
  • rio1.jpg
  • rio2.jpg

O corpo de Isaías Rodrigues da Silva, 18 anos, foi encontrado dentro do rio Poti, nas proximidades da ponte do Tancredo Neves na manhã desta terça-feira(14). Ele estava desaparecido após ter sido preso por uma viatura da Polícia Militar, no último domingo(12), por volta das 23 horas, da Vila da Paz, também na zona Sul. 

Familiares informaram que ele teria tentado praticar um assalto a um suposto policial militar à paisana e que teria sido preso por uma guarnição da Força Tática, depois disso desapareceu. Eles contam que testemunharam as agressões ao jovem, que teria sumido após ser levado em uma viatura. 

"Acho que esse policial chamou as outras viaturas... bateram muito nas costas dele com facão, colocaram no carro da polícia e o levaram, só que ninguém sabia para onde", relata Noêmia Soares, tia da vítima.

O coordenador da Delegacia de Homicídios, delegado Francisco Baretta, esteve no resgate do jovem das águas do rio Poti e disse que a especializada irá apurar todos os fatos. 

“O corpo foi encontrado hoje por volta das 7 horas. Começamos os trabalhos preliminares, mas o corpo estava bem inchado, bastante deformado. Só um exame apurado do médico legista vai dizer a causa da morte, se ele foi submerso na água ainda vivo, se tem alguma marca de lesão, asfixia”, detalha o coordenador da DH. 

Isaías foi reconhecido por parentes do garoto que foram até o local. A mãe estava presente e passou mal. 

“Estamos fazendo a parte cartorária e vamos iniciar as investigações”, destacou Baretta.

O corpo foi encaminhado ao Instituto Médico Legal (IML), onde passará por exames e depois será liberado para a família. 

PMPI

O chefe do departamento de Relações Públicas da Polícia Militar, tenente coronel John Feitosa, informou que a polícia está colhendo as declarações dadas pelos parentes para identificar a suposta viatura a qual o jovem havia sido levado.

“Estamos apurando os fatos para vê se procede a alegativa da família, para depois encaminhar à Corregedoria que tomará as providências cabíveis”, declarou. 


Caroline Oliveira e Graciane Sousa
redacao@cidadeverde.com 

Imprimir