Cidadeverde.com
Geral

Salve Rainha: Jader grava vídeo antes do julgamento de Moaci Júnior

Imprimir

O jornalista Jader Damasceno, sobrevivente do acidente de trânsito que matou os irmãos Francisco da Chagas Araújo Junior e Bruno Queiroz, desabafou em um vídeo, divulgado nesta quinta-feira (16), pedindo por justiça e que as pessoas compareçam amanhã (17) para o julgamento de um recurso apresentado pela defesa do acusado de provocar o acidente, Moaci Moura da Silva Junior, no Tribunal do Júri, na sede do Tribunal de Justiça do Piauí. Os advogados do jovem querem que o caso não seja julgado pelo Tribunal do Júri. 

“Vai ter um julgamento sobre o caso do Moacir, sobre o que ele fez comigo e com os meus amigos. Vamos falar sobre o que eu estou passando por causa dele, das escolhas dele de andar bêbado, alcoolizado, em alta velocidade e ultrapassar o sinal vermelho: eu fiquei com paralisia cerebral no lado direito; perda parcial da visão, eu não enxergo quase nada, e da audição; desenvolvi síndrome do pânico; tive traumatismo craniano e torácico; esfacelamento dos ossos, quase que fratura exposta da coxa, tiver e fêmur remendados com ossinhos”, desabafou Jader, que mostrou imagens de exames e consultas.  

“Eu venho pedir que todos vocês compareçam amanhã (dia 17), a partir das 9 horas da manhã, no Tribunal do Júri. A família dele nunca me deu nem um colírio. Me ajudem a conseguir justiça por mim, pelo Bruno, pelo Chagas”, finalizou o vídeo. 

Amanhã, também no julgamento, a 2º Câmara Criminal vai decidir se mantém ou não a acusação em primeiro grau de que Moaci praticou duplo homicídio doloso eventual, que ele assumiu o risco de matar ao dirigir embriagado e em alta velocidade.

O recurso da defesa quer que o homicídio fique enquadrado como culposo, sem intenção de matar, e seja julgado na vara específica de julgamento de crimes de trânsito. Neste caso, se condenado, Moacir terá penas mais brandas. 


Moaci Moura da Silva Junior 

 

O acidente

A colisão que vitimou Júnior Araújo e seu irmão Bruno Queiroz Rainha aconteceu, no dia 26 de junho do ano passado, quando os dois e  oJader Damasceno deixavam o Parque da Cidadania. O Fusca em que os três estavam foi atingido violentamente pelo Corolla dirigido por Moaci na Avenida Miguel Rosa. 

Bruno morreu no local, o irmão ainda resistiu quatro dias no Hospital de Urgência de Teresina (HUT). 

No inquérito que apurou a colisão de trânsito, ficou provado que o indiciado Moaci Júnior trafegava a aproximadamente 100 Km/h (fato apurado por três metodologias distintas) e invadiu sinal vermelho (fato provado tanto por perícia como por prova testemunhal)


Fusca em que vítimas estavam ficou destruído

 

 

Carlienne Carpaso e Izabella Pimentel
[email protected] 

Imprimir