Cidadeverde.com
Últimas

Pnad: 92,3% dos brasileiros usam smartphones para acessar a internet

Imprimir

Dados sobre acesso à internet da Pesquisa Nacional de Amostra Por Domicílios 2016 mostram que 92,3% dos brasileiros usavam, em 2016, os próprios smartphones como meio principal de conexão. Em contrapartida, o uso de telefone fixo apresentou desuso, marcando presença em 34% dos lares brasileiros. No Distrito Federal, os celulares foram encontrados em 98,1% dos lares, e também é o principal meio de acesso à rede; os microcomputadores têm a "preferência" de 62% dos brasilienses. 
 
Ainda falando em comunicação, as televisões resistem. Com 97,4% de participação nos domicílios, ficam, ainda, bem à frente dos microcomputadores, que ano passado registraram 46,2% de adesão.

Domicílios

Dos 69,2 milhões de domicílios registrados pelo IBGE em 2016, um total de 68,2% são próprios e já quitados. Esse número corresponde a 47,2 milhões. Já os brasileiros que vivem em habitações alugadas correspondem a 17,5%. Os dados são mais recente Pesquisa Nacional de Amostra Por Domicílios (PNAD Contínua), realizada pelo IBGE no ano de 2016. 

Dos 69 milhões de lares, 86% são casas e 13% apartamentos – é válido destacar que em todas as grandes regiões o percentual de habitações horizontais ficou acima de 80%. O Distrito Federal registrou um total de 1 milhão de domicílios, sendo 55,7% próprios e 29% alugados. Desse montante, 71,26% são casas – um total de 719 mil lares. Os dados também demonstram que o DF concentra mais de 50% do total de apartamentos da região Centro-Oeste (275 mil).
  

População 

Em 2016, dos 205,5 milhões de habitantes, 48,5% eram homens e 51,5% eram mulheres. Desses, 44,2% eram brancos, 8,2% se consideravam pretos e 46,7% pardos.
 
A maior fatia da população está na faixa etária dos 30 a 39 anos (que representam 15,9% da população); 60 anos ou mais (14,4%); e 40 a 49 anos (13,8%). 
 
Em 2016, o DF registrava 3 milhões de habitantes, com 47,7% deles sendo homens e 52,3% mulheres. Desse total, 51,7% se declararam pardos; 38,5% se declararam brancos e 8,9% pretos. Além disso, na divisão por faixa etária, 18,3% possuía entre 30 e 39 anos, 14,4% possuía de 40 a 49 anos e 11,8% possuía de 50 a 59 anos.


Fonte: Correio Braziliense 

Imprimir