Cidadeverde.com
Viver Bem

Ciclismo emagrece, tonifica a musculatura, fortalece a mente e ainda é sustentável

Imprimir

Emagrecer, tonificar a musculatura, fortalecer a mente e ainda ser sustentável. Acredite ou não, os benefícios do ciclismo para a saúde do seu corpo e do planeta são tantos que ainda estão sendo descobertos. Isso mesmo, a história desse veículo – cuja origem remonta ao primeiro velocípede, criado em 1855 por um ferreiro francês – que se tornou esporte está recheada de surpresas que não param de acontecer.

Para quem pensa em emagrecer, a bicicleta é perfeita, mas pesquisas mostram que, muito além do seu corpo, incorporar o ciclismo à sua rotina diária é capaz de modificar beneficamente o seu cérebro. Surpreso? Com certeza, afinal quem tem plano de saúde sabe que pode contar com os melhores especialistas de cada área, mas lá no fundo espera nunca precisar deles. E para ajudar a deixar sua saúde de ferro e mantê-lo sempre em forma, a bicicleta, com certeza, é um ótimo meio.

Estar no peso ideal é o sonho de muita gente, que fica muito mais próximo de se tornar realidade quando o ciclismo é incorporado ao dia a dia. A atividade condiciona os músculos a queimar mais gordura, principalmente quando as distâncias são longas e o ritmo constante; as pernas têm maior irrigação, ficando mais aquecidas. A temperatura mais alta faz com que a gordura seja queimada mais rapidamente para dar mais energia ao corpo – e você pedalar mais facilmente.

Os benefícios do ciclismo para a saúde são muitos, mesmo quando as distâncias são mais curtas e o passeio mais leve, há vantagens. A queima de calorias permanece na fase de repouso, quando, depois do treino, o corpo entra em processo de reparação da musculatura.

Tudo isso acontece sem que as articulações sofram qualquer impacto, ficando mais protegida do que durante a corrida, por exemplo. Por outro lado, além do maior condicionamento e resistência, há também aumento da massa magra, já que os maiores músculos do corpo são trabalhados incessantemente, como os glúteos, quadris e panturrilhas.

 

(Fonte: Revista Ride Bike)

Imprimir