Cidadeverde.com
Política

PRF classifica BR-135 como "área vermelha" e que mortes podiam ser evitadas

Imprimir

Foto: Wilson Filho/ Cidadeverde.com

O superintendente da Polícia Rodoviária Federal no Piauí, Welendal Leal, classificou a BR-135 como "área vermelha" e diz que parte dos acidentes com vítimas fatais na rodovia poderiam ter sido evitados. Somente este ano foram quase 50 mortos. Com ações de infraestrutura e conscientização dos motoristas, o superintendente espera que haja queda no número de óbitos em 2018 na "rodovia da morte".

"Quase 50 pessoas morreram. Parte das mortes poderiam ser facilmente evitadas com ações simples de infraestrutura. Considero a BR-135 como área vermelha. Em 2018 acreditamos que o número de acidentes será  menor devido às ações de infraestrutura, conscientização dos motoristas sobre o problema e a presença da PRF na rodovia", disse Welendal Leal.

Em entrevista ao Cidadeverde.com, o superintendente adianta que equipes reforçarão a fiscalização na rodovia neste fim de ano, bem como em feriados nacionais. O resultado da ação efetiva da PRF pode ser expresso também em números: "Tivemos mais de 1 mil autuações por excesso de velocidade naquela rodovia", declarou Welendal Leal.

As equipes permanentes ficarão em trechos considerados críticos da BR-315 como nas imediações das cidades de Redenção do Gurgueia, Colônia do Gurgueia, Cristalândia e Corrente.

Welendal Leal considera o ano de 2017 como uma preparação para 2018 e cita a falta de recursos públicos como um dos entraves para uma participação ainda mais efetiva do órgão. 

"2017 foi um grande desafio que começou logo no início do ano quando tivemos 12 mortes no período do Carnaval. Aquela BR nos trazia uma grande preocupação. Tivemos a necessidade de implantar um trabalho técnico na área, analisar de forma mais técnica e científica o que aconteceu. Tivemos que condensar um ano em cinco meses. Passamos a atuar com recursos apenas a partir de setembro, pois durante todo o ano tivemos um contingenciamento de recursos a nível federal. Lamentavelmente, não conseguimos executar algumas demandas que tínhamos planejado", avaliou o superintendente. 

Para o próximo ano, Welendal Leal pretende intensificar as ações de fiscalização também a motociclistas  veículos pesados e de transporte de produtos perigosos. 

"Queremos atingir de forma focal a questão do número de acidentes com mortos. Atingimos um número muito alto... 2017 foi um dos anos com maior número de acidentes com mortos nas rodovias federais do Piauí. Atribuímos esses números, entre outros fatores, à mudança no comportamento do motorista. Precisamos intensificar as ações, dentro de um planejamento que vai apontar qual o melhor caminho a tomarmos em 2018", finalizou o superintendente da Polícia Rodoviária Federal no Piauí. 

 

Graciane Sousa e Hérlon Moraes
redacao@cidadeverde.com

Imprimir