Cidadeverde.com
Geral

"Perdi minha filha pela imprudência da polícia", diz mãe de criança morta pela PM

Imprimir

Fotos: Izabella Pimentel 

"Não tenho nem palavras para dizer o que estou sentindo. Perdi minha filha pela imprudência da polícia". Este é o desabafo de Daiane Félix Caetano, 26 anos, mãe de Emile, uma garota de nove anos de idade que morreu após ser baleada em uma abordagem da Polícia Militar em Teresina, na noite desta segunda-feira (25), em pleno Natal. 

A mãe ainda não acompanha os preparativos do velório da filha, pois presta depoimento na Delegacia de Homicídios sobre o que ocorreu. Ela está em estado de choque desde que soube do falecimento da menina. 

"Minha filha era tão linda. A gente acha que a polícia é amiga, mas que policia é essa que mata cidadão?", questiona Daiane, que diz ainda não acreditar na morte da menina.

Ela e o marido, que é cantor sertanejo, também ficaram feridos. O casal e as três filhas seguiam no veículo da família que foi alvejado a tiros. Os disparos teriam sido efetuados porque o motorista não parou o carro. As outras duas crianças (uma bebê e uma menina de oito anos não ficaram feridas). 

"Minha filha estava com fome e pediu para comer um açaí. Estávamos no carro e na hora de fazer uma rotatória na avenida João XXIII, meu marido triscou o carro no meio fio. A partir daí, uma viatura da PM começou uma perseguição. Eu estava com medo porque minha outra filha de oito meses também estava no veículo, no meu colo, sem o bebê conforto. Mesmo assim, decidimos parar.... quando paramos a polícia efetuou os tiros contra o nosso carro. Foram pelo menos dez disparos", relata Daiane que acredita que a intenção dos policiais militares era de matar os ocupantes do carro.

Daiane conta que antes dos policiais efetuarem os disparos, populares avisaram que o carro estava ocupado por uma família.

"Quando desci do carro com a bebê no colo, gritando desesperada, o policial ainda chamou de vagabunda, perguntando por que  eu não parei o carro. Uma pessoa disse que não precisava atirar porque era uma família e o policial disse para ele calar a boca senão ia sobrar tiro até pra ele", relatou a mulher. 

O cantor sertanejo ainda permanece em observação no Hospital de Urgência de Teresina (HUT).

Daiane foi à delegacia na companhia do pai Francisco de Assis Caetano que lamenta a perda da neta.

Fotos: Izabella Pimentel 

Avô lamenta a perda de Emili

"Perdi minha netinha linda, uma menina tão inteligente, bonita. Estamos todos arrasados", conta o avô da menina, Francisco de Assis Caetano.

O corpo de Emile ainda está no HUT. O velório da menina acontecerá na casa da família, bairro Parque Alvorada, em Timon (MA).

Os PMs envolvidos na ocorrência são do 5° Batalhão da Polícia Militar, responsável pelo policiamento na zona Leste da Capital. A coronel Elza Rodrigues, Relações Públicas da Corporação, informou que os dois policiais  foram autuados na manhã de hoje e levados para o presídio militar.  

 

Graciane Sousa e Izabella Pimentel 
redacao@cidadeverde.com

Imprimir