Cidadeverde.com
Geral

Família de vítima de tragédia acusa HUT de negligência

Imprimir
 
Saulo André Barbosa Isidoro, 26 anos, foi a última vítima a ser resgatada com vida após a tragédia da BR-316, que matou seis pessoas e deixou 12 feridas entre Timon/MA e Caxias/MA na última terça-feira. Ele deu entrada no Hospital de Urgência de Teresina Doutor Zenon Rocha - HUT - consciente, e no dia seguinte já havia recebido alta. Hoje, Saulo está internado no hospital São Marcos após ter sofrido complicações renais. A família acusa o HUT de negligência e promete processar o médico. A direção do hospital nega o descaso.

O aposentado Francisco Sobrinho, tio de Saulo, relatou à TV Cidade Verde que encontrou o jovem em uma maca aguardando atendimento na sala de ortopedia, apresentando vômitos, e estranhou a saída dele do hospital horas depois. "Ele não tinha condição nem de ficar em pé", disse. Os parentes afirmam que, horas depois, o quadro de Saulo se agravou e ele foi levado para o São Marcos em ambulância fretada.  Novos exames constataram que o funcionário do Fórum de Caxias apresentou insuficiência renal aguda, e teve de ser submetido a hemodiálise.

O pai de Saulo, Antônio Isidoro, veio de Corrente, onde é funcionário público, para acompanhar a situação do filho. O estado de saúde dele é estável, mas delicado. "Foi negligência. Se eles não têm condição de resolver um problema desses, que eles enviem o rapaz para outro centro de saúde mais eficiente. Vamos procurar saber quem foi esse médico que estava no horário e vamos entrar com processo no CRM (Conselho Regional de Medicina)", anunciou Isidoro.

Durante o Jornal Cidade Verde desta quinta-feira (23), o diretor do HUT, Gilberto Albuquerque, contestou a versão de negligência e explicou que todos os procedimentos cabíveis ao Pronto Socorro foram realizados. "Os pacientes acidentados são recebidos em qualquer Pronto Socorro com a realização dos exames. Quando não se diagnostica alguma complicação e seu quadro é estável, ele é liberado", declarou.

Gilberto esclareceu que hematomas  não se formam nas primeiras horas de atendimento, assim como casos de insuficiência renal. Perguntado se o paciente não poderia ter passado mais tempo no HUT, o diretor disse que a postura do Pronto Socorro para vítimas de trauma são que o mesmo procure um serviço médico no momento em que surgir alguma alteração não prevista.

Simplício Júnior (TV Cidade Verde)
Fábio Lima (da Redação)
[email protected]
Tags:
Imprimir