Cidadeverde.com
Política

Mão Santa: 'Corrupção que deixou 30 mil piauienses sedentos'

Imprimir

O senador Mão Santa (PMDB-PI) denunciou nesta segunda-feira (3) a existência de um esquema de corrupção envolvendo a perfuração de 6.500 poços tubulares no Piauí de até 600 metros de profundidade, que custaram entre R$ 300 mil e R$ 400 mil cada e que, segundo ele, não funcionam, porque não dispõem da energia elétrica prometida pelo programa "Luz para Todos", do governo federal.

 

- Não funcionam porque não chegou a energia. Não chegou a energia porque a corrupção não deixou. O fato é que temos 6.500 poços desativados, que representariam água para 30 mil sedentos - comparou.

 

O senador também denunciou o governo estadual pela situação de penúria da pecuária, que há mais de cinco anos não pode exportar seus produtos para o resto do Brasil. Mão Santa explicou que o Piauí é considerado pelo Ministério da Agricultura como "área de risco desconhecido para o controle da febre aftosa".

 

- Apesar dos produtores estarem cumprindo o seu papel vacinando mais de 80% do rebanho, o governo do estado não tem cumprido com sua parte no que diz respeito ao levantamento e mapeamento do rebanho, bem como a fiscalização adequada. Isso levou à decadência do setor, que agora pede socorro ao governo federal e às autoridades piauienses - assinalou.

 

O senador Valdir Raupp (PMDB-RO) sugeriu, em aparte, que Mão Santa procure o ministro da Agricultura, Pecuária e Abastecimento, Reinhold Stephanes, para receber orientação sobre como atuar nesse caso de sanidade animal, colocando-se à disposição para ajudar a marcar uma audiência. Ele disse que Mão Santa tem absoluta razão em reclamar do descaso com o Piauí.

 

- Se o Brasil está ajudando a Bolívia, com 300 mil doses de vacina contra a febre aftosa, porque não ajudar um estado brasileiro que está em dificuldade? Se o governo do estado não está fazendo, o Ministério da Agricultura vai ter que tomar as providências necessárias - afirmou.
 
 
Tags:
Imprimir