Cidadeverde.com
Geral

Sem identificação dos familiares, IML sepulta mais 12 corpos em Teresina

Imprimir

FOTO: SSP/PI

Outros doze corpos indigentes foram sepultados nessa sexta-feira (11) em Teresina. Os corpos encontravam-se na geladeira do Instituto de Medicina Legal (IML). A ação é mais uma etapa do fluxograma regular de saída de cadáveres pré-estabelecida para o enterro dos corpos que se encontram no instituto há anos, sem reconhecido por parte de familiares.  No dia 04 de maio deste ano, outros oito corpos já foram sepultados. 

Os sepultamentos são resultado de uma ação integrada do IML com o Ministério Público Estadual, Secretaria Municipal de Cidadania, Assistência Social e Políticas Integradas (Semcaspi) e Superintendência de Desenvolvimento Urbano (SDU), o que deve possibilitar a limpeza do setor, resultando em um ambiente salubre para funcionários e vizinhança do local. 

De acordo com o coordenador administrativo do IML, delegado Assis Carvalho, a meta do orgão é realizar todos os sepultamentos dos corpos de indigentes que se encontrem no instituto, além de fazer a higienização e manutenção das geladeiras.“Posteriormente será feito esse fluxograma dentro dos prazos processuais e publicado para o conhecimento de todos”, ressaltou o coordenador.

"Ontem nós completamos 20 sepultamentos, a perspectiva que na próxima sexta seja de mais 12. Completando 32 sepultamentos, essa é a nossa programação", acrescentou o coordenador. 

Em entrevista divulgada no dia 05 de maio, o diretor do IML, André Biondi, informou que o sepultamento de indigentes não deve atrapalhar as investigações e caso familiares venham contestar a identificação de algum corpo, o IML pode fazer a comparação a partir do banco de dados. 

“Nossa equipe além de coletar dados como impressões digitais, registros dentários e materiais para DNA dos corpos, também faz um acompanhamento do local onde o corpo foi sepultado.“ finaliza.


Da Redação
Com informações da Secretaria de Segurança do Piauí 
[email protected]

Imprimir