Cidadeverde.com
Cidade Verde Amarela

Fora da Copa, Guerrero chama suspensão de “Vergonhosa injustiça”

Imprimir

 

Juego Limpio

Quiero compartirles mi sentir acerca de lo que estoy viviendo en este momento. Mañana llego a Perú para estar con ustedes...#ModoGuerrero #JuegoLimpio #ElSueñoContinua

Publicado por Paolo Guerrero em Segunda, 14 de maio de 2018

 

A novela da suspensão de Paolo Guerrero, por doping, teve nesta segunda-feira um capítulo triste para o jogador. O atacante do Flamengo e do Peru teve a punição ampliada para 14 meses pelo TAS (Tribunal Arbitral do Esporte) e ficará de fora da Copa do Mundo, na Rússia. Ainda nesta segunda-feira, o peruano se pronunciou em vídeo publicado no Facebook.

“Hoje sinto que meu sonho, primeiro de jogar futebol e segundo de jogar um Mundial depois de 36 anos, sinto que o perdi”, disse Guerrero. “Mas quero ratificar a meu país, à minha gente, que jamais consumi qualquer tipo de droga ou alguma substância proibida”.

O camisa 9 e capitão da seleção peruana listou três motivos que provam sua inocência. “Primeiro: nunca consumi uma droga. Isso já foi provado. Segundo: nunca tive a intenção de melhorar minha performance. (…) Isso já foi provado na Fifa, na Wada (Agência Mundial Antidoping) e no TAS. E terceiro: eu estava sob o regime da minha equipe, sob o regime da Federação Peruana de Futebol, sob protocolos de segurança e nutrição. Tomei um chá que um garçom não deveria ter servido a um jogador profissional”.

Guerrero encerrou o depoimento desqualificando a decisão do TAS. “O que não se comprova é como podem me dar uma suspensão de 14 meses, tirarem meu sonho de jogar um Mundial sem justificativa ou algum argumento que faça sentido para mim e também para vocês mesmos. Então, às pessoas que contribuíram para essa vergonhosa injustiça, que estão me roubando o Mundial e talvez minha carreira também, espero que consigam dormir em paz”.

Paolo Guerrero, que teve a pena diminuída para seis meses e atuou pelo Flamengo nas últimas duas rodadas do Campeonato Brasileiro, contra Internacional e Chapecoense. No entanto, a decisão do TAS aumentou a punição em oito meses e tirou o atacante da Copa do Mundo. Com o julgamento em última instância, não cabe recurso.

Fonte: Gazeta Esportiva

Voltar Cidade Verde Amarela
Imprimir