Cidadeverde.com
Geral

Delegado diz que criminoso deixou "assinatura visível" na morte de Aretha Dantas

Imprimir


.Aretha Dantas (foto: Arquivo Pessoal)

O coordenador da Delegacia de Homicídios e Proteção à Pessoa (DHPP), o delegado Francisco Baretta, afirmou, nesta quarta-feira (16), que o criminoso deixou “marcas bem visíveis” no assassinato da cabelereira Aretha Dantas Claro, de 33 anos, encontrada morta na manhã de ontem (15) na Avenida Maranhão, no trecho do bairro Tabuleta, zona Sul de Teresina. 

A morte de Aretha chocou a população devido à brutalidade da ação. Ela foi esfaqueada com pelo menos 20 perfurações e chegou a ser atropelada por um veículo, pois tinha marcas de frenagem no seu corpo.  

“Um assassino, um criminoso, ele planeja o crime. Nós temos que verificar todo esse planejamento. A Polícia Civil dará uma resposta no menor tempo possível. Todo crime de homicídio doloso contra a vida tem uma motivação seja ela a menor possível. E esse crime não foi diferente. Pela forma como ela foi morta tem a assinatura do criminoso, além do modus operanti. E a assinatura dele está bem visível e é nela que nós estamos autenticando para chegar até ele”, declarou o delegado em entrevista ao Notícia da Manhã. 

O delegado ressaltou que as investigações estão ocorrendo de maneira acelerada para dar uma resposta o mais rápido possível. O inquérito policial é presidido pela delegada Luana Alves, do Núcleo de Feminicídio da DHPP.

“As informações estão sendo materializada dentro do inquérito, e eu acredito que nas próximas horas, nos próximos dias, a delegada vai estar com esse indivíduo (suspeito de cometer o crime) seja identificado. Infelizmente, não posso dar detalhes maiores para não prejudicar as investigações, que já estão avançadas”. 


 


Carlienne Carpaso
carliene@cidadeverde.com 

Imprimir