Cidadeverde.com
Esporte

América-MG supera Botafogo e mantém invencibilidade em casa

Imprimir
  • ame-bot-15.jpg Foto: Mourão Panda / América-MG
  • ame-bot-14.jpg Foto: Mourão Panda / América-MG
  • ame-bot-13.jpg Foto: Mourão Panda / América-MG
  • ame-bot-12.jpg Foto: Mourão Panda / América-MG
  • ame-bot-11.jpg Foto: Mourão Panda / América-MG
  • ame-bot-10.jpg Foto: Mourão Panda / América-MG
  • ame-bot-9.jpg Foto: Mourão Panda / América-MG
  • ame-bot-8.jpg Foto: Mourão Panda / América-MG
  • ame-bot-7.jpg Foto: Mourão Panda / América-MG
  • ame-bot-6.jpg Foto: Mourão Panda / América-MG
  • ame-bot-5.jpg Foto: Mourão Panda / América-MG
  • ame-bot-4.jpg Foto: Mourão Panda / América-MG
  • ame-bot-3.jpg Foto: Mourão Panda / América-MG
  • ame-bot-2.jpg Foto: Mourão Panda / América-MG
  • ame-bot-1.jpg Foto: Mourão Panda / América-MG

Apesar da vitória contra o Fluminense, na última rodada, o sinal de alerta  estava ligado no Botafogo. O triunfo no clássico não apagou a fraca atuação defensiva que precisava ser corrigida. Contra o América-MG, ontem, no Independência, pelo Campeonato Brasileiro, não teve Jefferson que salvasse 
a atuação alvinegra na derrota por 1 a 0. Coube a Juninho decretar a vitória para o time mineiro. 

Com o resultado, o Botafogo perdeu a chance de entrar no G6 e embalar no torneio, permanecendo com os mesmos oito pontos que iniciou na rodada. Já o América foi a dez e encostou no pelotão de cima.

Novidade na escalação 
Alberto Valentim atendeu aos pedidos da torcida e promoveu a entrada de Gustavo Bochecha na equipe titular. Após ser destaque no clássico contra o Fluminense, o meia superou a concorrência de Kieza e Leo Valencia para sair jogando. 

Melhores chances pelos lados
?Botafogo e América encontraram espaços pelas laterais. Serginho e Aderlan organizaram as melhores chances do Coelho atuando nas costas de Gilson. Já Luiz Fernando, o mais lúcido do Alvinegro, criou a melhor oportunidade pelo lado esquerdo, após jogada individual que terminou no chute de Renatinho, salvo na boca do gol pelo zagueiro Messias. Foi o principal lance de emoção em 45 minutos de mais transpiração que inspiração.

Coelho é superior no retorno 
O América voltou para o segundo tempo com mais posse de bola, mas pecava nas conclusões. O placar quase foi aberto em cabeçada de Aderlan e com Judivan, travado na hora do chute por Igor Rabello. Foi a deixa para Valentim colocar Aguirre e Kieza nos lugares de Renatinho e Brenner, que completou quatro jogos sem balançar as redes. 

Desatenção fatal
As alterações deixaram o Botafogo mais ofensivo e reequilibrou o duelo. Quando parecia que tudo caminhava para um empate sem gols, um descuido decidiu a partida. Rafael Moura dominou na entrada da área e passou fácil por Igor Rabello, antes de rolar para Juninho chutar de bico para marcar. No fim, o Coelho controlou a bola e deixou passar o tempo para garantir a vitória. 

Fonte: Lance!

Imprimir