Cidadeverde.com
Esporte

Inter quebra jejum de gols e derrota a Chapecoense no Beira-Rio

Imprimir

O Internacional finalmente voltou a marcar gols no Campeonato Brasileiro. Após passar em branco nas quatro últimas rodadas, o time gaúcho desencantou diante da Chapecoense, derrotada por 2 a 0 na noite desta segunda-feira, no Beira-Rio. 

Substituto do lesionado armador D’Alessandro, o atacante Lucca anotou o primeiro gol e fez a assistência para o zagueiro Rodrigo Moledo marcar o segundo. O meia Patrick, de cabeça, fechou a contagem.

O resultado afastou o Inter, agora com 8 pontos ganhos, da zona de rebaixamento da competição nacional. No domingo, o time colorado voltará ao Beira-Rio para tentar embalar contra o Corinthians. Já a Chapecoense, mais próxima do grupo que cai à segunda divisão com os seus 6 pontos, terá o Fluminense pela frente no sábado, no Maracanã.

O Internacional foi a campo com uma baixa de última hora – o argentino D’Alessandro sofreu uma entorse no tornozelo esquerdo e precisou ser substituído pelo ex-corintiano Lucca. 

“Vamos suprir a qualidade de passe do D’Alessandro com uma variação”, confiou o técnico Odair Hellmann, pressionado pela ineficácia do ataque da sua equipe no Campeonato Brasileiro.

Quando a bola rolou, o Inter até se esforçou para justificar o otimismo do seu comandante. Deu trabalho à Chapecoense com uma cabeçada de Iago e com uma cobrança de falta de Lucca. A resposta veio aos 21 minutos – Arthur arriscou o chute de fora da área e acertou a trave.

Lucca abriu o caminho para a segunda vitória do Inter no retorno à Série A (foto: Ricardo Duarte/Internacional)

Com o jogo amarrado a partir de então, o Inter conseguiu encurtar o caminho para o gol também com uma conclusão de longa distância. Aos 38 minutos, Leandro Damião foi lançado do lado esquerdo da área e ajeitou a bola para trás com uma bicicleta. Edenílson rolou para Lucca, que bateu colocado, para a rede.

O gol animou o Internacional e a sua torcida para o segundo tempo. “Momentos difíceis aparecem para os guerreiros de verdade”, bradou Lucca, no intervalo, enquanto os jogadores da Chapecoense estavam convencidos de que não mereciam a derrota parcial – até porque não haviam sido ameaçados na maior parte do tempo.

Já aos 15 minutos da etapa complementar, porém, o Inter ampliou. Lucca levantou a bola em cobrança de falta da esquerda, e Rodrigo Moledo subiu sem marcação para cabecear para dentro – apesar das reclamações de impedimento de alguns atletas da Chapecoense.

Sem tempo para protestar, o técnico Gilson Kleina agiu e trocou Guilherme por Bruno Silva. Odair Hellmann rebateu imediatamente, com a substituição de Edenílson por Juan Alano. E foi a novidade da Chape que assustou em seguida, aos 21 – Bruno Silva carregou em velocidade pela direita após vacilo de Patrick, mas passou mal para Wellington Paulista.

Em desvantagem, era normal que a Chapecoense se lançasse ao ataque. O Inter, que já não tinha tanta criatividade, passou a abusar um pouco mais dos erros de passe e contribuiu com a postura do adversário, agora com Leandro Pereira na vaga de Athur. Nas arquibancadas, houve um e outro torcedores que perderam a paciência com os donos da casa, mesmo com 2 a 0 no marcador.

A Chapecoense, no entanto, jogava mal o suficiente para não tirar proveito dos erros do Inter. E, após sacar o aplaudido Leandro Damião para a entrada de Nico López, Odair Hellmann ainda festejou mais um gol. Aos 38 minutos, Patrick completou com a cabeça um cruzamento de Rossi e encobriu Jandrei para assegurar a festa dos torcedores colorados.


Fonte: Gazeta Esportiva

Imprimir