Cidadeverde.com
Geral

Corregedoria investiga caso de 2 irmãos mortos por policiais

Imprimir

A morte de dois irmãos pela Polícia Militar tem causado polêmica no município de Santa Filomena, a 952 km de Teresina. As vítimas, identificadas como Aldinar Miranda Pereira e Francimar Miranda Pereira, foram mortas a tiros, na presença de familiares, que afirmam não ter havido motivo para os disparos dos PMs.

O crime aconteceu no último sábado (16). A irmã das vítimas, Nilzete Miranda, afirmou que alguns parentes decidiram chamar os policiais porque Aldinar chegou em casa sob efeito de bebida alcóolica, portando uma arma de fogo (bate-bucha), o que fez com que outro irmão, que está acamado, ficasse com medo e pedisse que a polícia fosse chamada.

Segundo Nilzete, Aldinar e Francimar já haviam se acalmado quando os policiais chegaram. Mesmo assim, os PMs acabaram jogando spray de pimenta dentro da casa, o que fez com que os irmãos saíssem na porta. Assim que saíram, foram alvejados na frente dela e de outros familiares. 

“Eles não estavam brigando, não tinha briga. O que aconteceu foi que esse meu irmão Aldinar chegou aparentemente embriagado com essa bate-bucha (arma de fogo) e meu outro irmão, que é acamado ficou um pouco preocupado, ficou com medo. [...] Quando os policiais chegaram, o Aldinar já estava comportado, eu pedi para que voltassem no outro dia porque a casa estava fechada, mas eles disseram que não, que tinha que ser naquele dia e já foram colocando spray de pimenta entre a parede e o telhado”.

Ela acrescentou que em seguida os policias atiraram nos dois irmãos. “Quando colocou o spray, já foi atirando e o Francinaldo saiu primeiro e foi só tiro, aí o Aldinar saiu depois e caiu no mesmo lugar, bem perto da porta. O Francinaldo morreu inocente porque foi o que saiu primeiro e ele não tinha nada a ver com a história”. 

Ainda segundo os parentes, o laudo médico comprova que os disparos atingiram as costas dos irmãos. Cinco policiais estavam presentes no local, quando tudo aconteceu, mas Nilzete não soube afirmar quantos atiraram. 

A Corregedoria da PM, que investiga o caso, informou, através da assessoria de imprensa, que quando os policiais chegaram ao local, um dos irmãos estava agressivo e com uma arma de fogo na mão.  Segundo a Corregedoria, a vítima armada não quis obedecer as ordens da guarnição de largar a arma. 

Ainda de acordo com a Corregedoria, o homem revidou contra a guarnição, os policiais precisaram intervir atirando e os disparos acabaram atingindo também o outro irmão. A Corregedoria também informou que todas as providências já foram tomadas e que foi aberto inquérito para investigar o caso.

O delegado Yuri Saulo, que estava de plantão na delegacia de Corrente no dia do crime e atendeu a ocorrência, também confirmou que os policiais estão envolvidos. Yuri Saulo não se aprofundou sobre os detalhes do crime, sob a justificativa de que o fato está sendo investigado pela Corregedoria da Polícia Militar.  

“O caso está sob investigação. As informações são que os dois foram mortos e os suspeitos são, no mínimo, dois militares que estavam em serviço. Segundo relatos de testemunhas, um morreu na hora e o outro morreu a caminho do hospital”, falou o delegado.

Yuri Saulo também contou, sem dar mais detalhes, que os policiais receberam um chamado da casa onde o crime aconteceu e que quando chegaram no local a situação se agravou e culminou na morte dos irmãos. Ainda segundo o delegado, não se sabe a motivação do crime.

Lyza Freitas
redacao@cidadeverde.com

Imprimir