Cidadeverde.com
Geral

Mulher é estuprada em túmulo dentro de cemitério no interior do Piauí

Imprimir

Uma mulher foi estuprada no município de São José do Piauí ( a 281 km de Teresina) dentro de um cemitério.

Segundo o delegado Miguel Carneiro Correia, a vítima de iniciais M.A.P.B, de 37 anos, relatou a polícia que estava por volta da meia noite procurando seu marido que estava desaparecido quando foi abordado pelo suspeito.

"Ela nos relatou que o suspeito a segurou pelo braço e tentou estrangulá-la e nesta hora desmaiou. Quando acordou estava sendo estuprada em cima de um túmulo. Segundo ela, durante o ato, ele a carregava para vários túmulos e a violentava. Em um momento, ela reagiu e ele teria colocado areia na boca dela para lhe calar", informou o delegado.

A vítima está com vários hematomas pelo corpo. "Ela está bem abalada com lesão pelo pescoço, nas costas e foi levada para o Hospital Regional de Picos".  

O crime ocorreu no povoado Atalho. As Policiais Militar e Civil efetuaram  a prisão do suspeito que é Antônio da Silva Sousa 24 anos. 

O preso foi encaminhado a Central de Flagrante de Picos, onde foi  autuado na delegacia de Polícia e encaminhado para a penitenciária José de Deus Barros .

A vítima foi socorrida e levada para o Hospital Regional de Picos. 

De acordo com o comandante do Grupamento da Polícia Militar (GPM) da cidade, cabo Francenilton, o cemitério fica localizado em meio a um matagal.

“Fomos informados do crime através da mãe da vítima. Ela nos informou que Antônio da Silva Sousa abordou sua filha e usou força física para cometer o crime. A mesma encontra-se internada no Hospital Regional Justino Luz e seu estado é grave”, disse o cabo.

O delegado informou que mesmo morando no mesmo povoado, eles não tinham ligação. 

O suspeito nega as acusações e disse que fez com o consentimento dela. O delegado informou ao Cidadeverde.com que apura o caso e pediu vários exames. 

O Hospital Justino Luz informou ao Cidadeverde.com que a vítima fez todos os procedimentos no caso de estupro e agora tem  acompanhamento de psicólogos do Serviço de Atendimento às Vítimas de Violência Sexual (SAMVVIS).

 

Flash Yala Sena
[email protected]

Imprimir