Cidadeverde.com
Geral

Mobilização pede manutenção dos serviços do Hospital Veterinário da UFPI

Imprimir

Foto: Cristian Sousa/ TV Cidade Verde

Estudantes, residentes, técnicos e professores de Medicina Veterinária da Universidade Federal do Piauí (UFPI) estão realizando uma mobilização nesta segunda-feira (25) contra uma resolução que está descentralizando os serviços do Hospital Veterinário Universitário do Estado, HVM-PI. De acordo com os manifestantes, a resolução 008/2018 do Conselho Universitário (CONSUN), de 2018, está fazendo com que os serviços do hospital sejam reduzidos apenas para ambulatoriais ou clínicos, por exemplo, e eles querem a revogação da medida.

O Hospital foi inaugurado em 2003 e funciona dentro da Universidade Federal do Piauí como um hospital-escola, para que os universitários possam ter aulas práticas de veterinária, além do que, serve para atendimento gratuito à população de animais, como cães e gatos. 

A resolução altera o regimento interno do HVU desmembrando setores como diagnóstico por imagem, laboratórios, reprodução animal e clínicas de grandes animais. A resolução faz com que esses departamentos passem a ser subordinados diretamente ao Departamento de Clínica e Ciência Veterinária e ao Centro de Ciências Agrárias. Com a resolução, somente a área clínica e de cirurgias de pequenos animais continuam vinculadas ao Hospital e isso pode reduzir a classificação da unidade médica de hospital para ambulatório ou clínica.

Na prática, de acordo com o professor de veterinária da UFPI, Francisco Lima, os serviços serão reduzidos. "A resolução fere a legislação federal do Conselho Federal de Medicina, que regulamenta os estabelecimentos médicos veterinários, onde é definido o que é um hospital, uma clínica, um ambulatório e um consultório, de forma que se isso permanecer, ele deixa de ser hospital para ser ambulatório". 

"O Hospital foi fundado há 15 anos, conforme a legislação do Conselho Federal. Agora essa resolução desmembrou o Hospital e não há benefícios. O hospital tem que ter algumas estruturas referentes a clínica de cães e gatos, tem que continuar funcionando como hospital. Defendemos que ele não perca o status de hospital. Para isso, a resolução tem que ser revogada, para que o regimento interno seja democrático", acrescentou o docente. 

A descentralização dos serviços pode trazer um prejuízo para donos de animais que não podem pagar por um antendimento médico particular. Os manifestantes também acreditam que os alunos e residentes podem ser penalizados, porque as aulas práticas que são realizadas dentro do Hospital seriam restringidas.  

Além disso, os manifestantes querem a aprovação do novo regime do Hospital que segundo eles, está parado desde 2016, nas instâncias superiores da UFPI.

Em nota, a UFPI explicou a resolução. Confira na íntegra 

A administração superior da Universidade Federal do Piauí (UFPI) sempre defende o que é melhor para a Instituição, não acobertando posições pessoais. No caso do Hospital Veterinário Universitário (HVU), a postura não é diferente. Interessa a administração superior o que é melhor para o HVU,  para a formação dos novos Médicos Veterinários e dos residentes. 
Nesse sentido, recebeu o pedido de anulação da Resolução 008/2018 do Conselho Universitário (CONSUN) e o encaminhou ao referido Conselho. O conselheiro escolhido para relatar a matéria ouviu as partes e, na reunião extraordinária do CONSUN, realizada na tarde de hoje, 25/06, o relator apresentou seu parecer, propondo: 

1. O encaminhamento do pedido de anulação ao Conselho Diretor, instância superior ao CONSUN; 
2. A suspensão da vigência da Resolução 008/2018 e
3. A retomada da discussão da proposta  de resolução apresentada em 2016.

O CONSUN aprovou, na íntegra, a proposta apresentada pelo  relator, abrindo, assim, o caminho para chegarmos a uma nova resolução que venha atender, da forma mais justa  e ampla  possível, os interesses da instituição e da comunidade acadêmica, que devem estar sempre acima de interesses pessoais ou de grupos.

Com certeza teremos um HVU mais forte, cumprindo seu objetivos de formar profissionais cada vez melhores, gerar novos 

Lyza Freitas
redacao@cidadeverde.com

Imprimir