Cidadeverde.com
Viver Bem

Conheça os sintomas da celulite facial e como tratar o problema

Imprimir

A celulite facial é uma doença bacteriana que acomete o tecido subcutâneo da pele e cursa com quadro de vermelhidão, dor e edema, bem diferente do termo popular celulite corporal que utilizamos para referir a lipodistrofia ginóide. O quadro de celulite propriamente dita também pode acometer todas as áreas do corpo. Pessoas portadoras de algumas doenças como diabetes, insuficiência venosa como varizes e feridas na pele ou com imunidade baixa crônica apresentam maior predisposição a desenvolver a celulite facial. Além disso, por esse uma infecção bacteriana a celulite pode ter outras portas de entrada como acne, micose, amigdalite, sinusite, infecções dentárias e úlceras de herpes zoster. Essas bactérias têm uma predisposição para migrar para o tecido subcutâneo e instalar o processo infeccioso e inflamatório no local.

Como saber se tenho celulite facial?
A celulite facial é caracterizada por uma placa vermelha endurecida, quente, inchada e dolorosa na pele devido a infecção das camadas mais profundas da pele. Além disso, quem sofre com o problema também pode apresentar sintomas sistêmicos como febre e calafrios. O diagnóstico da celulite facial é realizado a partir de uma conversa com o médico, onde será analisada toda sua história clínica, evolução, fatores de predisposição e exame físico da lesão e de toda superfície da pele com busca de prováveis portas de entrada e o seu tratamento.

 

Tratamento da celulite facial
O tratamento da celulite facial é feito por meio de uso de antibióticos para combate à infecção, mas a escolha da classe e da via de administração se oral, intramuscular ou endovenoso depende da extensão da lesão, localização e comorbidades. Em casos de infecção em face a preferência é de um antibiótico com maior espectro de ação e em alguns casos internação para medicação venosa. A celulite facial exigem um tratamento precoce pois pode levar a complicações sérias como trombose de seios cavernosos, lesões oculares e até mesmo evolução para meningite se não tratada de forma adequada.


Fonte: Minha Vida

Imprimir