Cidadeverde.com
Política

Fábio Novo: “Os partidos não podem apontar o dedo para o PT”

Imprimir

O deputado Fábio Novo (PT) criticou os líderes partidários da base que acusam o partido de atrapalhar a composição da chapa proporcional. De acordo com o deputado, os petistas não podem ser responsabilizados pela falta de estratégia de siglas como o MDB, que não se prepararam para outra opção como chapa pura.

O partido tem causado mal-estar na base ao insistir em sair com chapa pura na disputa proporcional. “O PT tem o direito de fazer a sua estratégia. O fato do PT buscar essa estratégia não prejudica nenhum partido. Somos parte da sociedade. Os partidos não podem apontar o dedo para o PT como se fossemos um entrave para os outros. Cada um se organiza como achar melhor”, comentou. 

O MDB quer que os partidos aliados saiam no chapão proporcional. A legenda pede que o governador Wellington Dias convença o PT a participar do bloco. “Os partido não podem deixar tudo para a última hora. O PT se organizou já pensando em 2020. O partido organizou pré-candidatos. Nomes que estão à disposição pensando em 2020. É normal e natural que cada partido busque a sua estratégia”, defendeu.

Fábio Novo afirma que solicitou audiência com o governador para se informar do andamento das conversas com os demais partidos. “Eu pedi uma audiência com o governaodr para atualizar sobre as conversas que ele tem mantido com as outras lideranças políticas. Eu continuo defendendo que o PT tenha a sua chapa própria. É assim que eu denomino. Acho ruim os termos “chapão” ou “chapinha”. A Legislação é clara quando diz que a partir de 2020 acaba a coligação proporcional”, afirmou.

Lídia Brito
lidiabrito@cidadeverde.com 

Imprimir