Cidadeverde.com
Entretenimento

Médico diz que Michael Jackson foi quimicamente castrado pelo pai

Imprimir

Foto: Divulgação

Condenado por homicídio culposo, quando não há a intenção de matar, no caso de Michael Jackson, Dr. Conrad Murray decidiu abrir o jogo sobre a vida do cantor e revelou que o também falecido Joe Jackson era um dos piores pais da história.

Além de condenar o tratamento que foi dado ao astro pelo veterano, o médico garantiu que o Rei do Pop foi castrado quimicamente, a fim de que sua voz pudesse se manter aguda. Esta não é a primeira vez que o profissional comenta o assunto.

“A crueldade expressada por Michael, que ele havia vivido nas mãos de seu pai, particularmente o mau tratamento e, além disso, o fato de que ele foi castrado quimicamente para manter sua voz estridente, está além das palavras”, disse.

Ex-cardiologista, Murray cumpriu dois anos por ter administrado uma overdose do remédio propofol a Michael em junho de 2009, o que causou sua morte. Em 2016, ele fez afirmações semelhantes em seu livro de memórias.

Em “This Is It! A vida Secreta do Dr. Conrad Murray e Michael Jackson, Joe Jackson é acusado pelo autor de ministrar injeções de hormônios em Michael, quando tinha apenas 12 anos, para curar acne e impedir mudanças na voz do então garoto.

As recentes declarações foram feitas ao portal “The Blast”. Segundo a revista “People”, logo após a morte do patriarca da família Jackson, Conrad disparou à publicação: “Espero que Joe Jackson encontre redenção no inferno”.

Fonte: Famosidades

Imprimir