Cidadeverde.com
Geral

Produtores assinam Carta de Uruçuí para proteger a natureza

Imprimir
Produtores, trabalhadores rurais e autoridades assinaram neste fim der semana a "Carta de Uruçuí", documento onde assumiram 14 compromissos que irão garantir mais proteção ao meio ambiente, saúde e segurança do trabalho para agricultores da região dos cerrados, no sul do Piauí. A lista de compromissos foi discutida e formulada após o Seminário sobre Agrotóxicos e Normas Gerais de Meio Ambiente do Trabalho, promovido pela Procuradoria Regional do Trabalho.
 
 
O evento foi realizado após acordo judicial com empresa da região, que pagou multa por dano moral coletivo, com valor reversível à comunidade. Entre os compromissos da "Carta de Uruçuí" estão a redução a zero do descarte inadequado de embalagens de agrotóxicos; adoção de práticas que reduzam o uso desses produtos; construção de unidade de recebimento de embalagens de agrotóxicos; treinamento anual de trabalhadores; maior fiscalização para impedir venda de agrotóxicos fracionada e sem receituário agronômico; qualificação de professores públicos em normas de segurança quanto ao uso dos produtos; qualificação de profissionais de saúde para identificar doenças ocasionadas por agrotóxicos; alteração do currículo dos cursos de Agronomia da UFPI e Uespi com inclusão da disciplina de agrotóxicos, entre outros.
 
As discussões em Uruçuí indicam que o uso de agrotóxicos não pode ser substituído facilmente, mas apontaram para o uso de tecnologias como o controle biológico de algumas pragas, como disse o professor Paulo Henrique Soares da Silva. Entre essas formas de controle biológico uma é bastante incomum hoje: lagartas contaminadas podem ser passadas em liquidificador para multiplicar o vírus e eliminar as lagartas sadias dos cultivos de soja.
 
 
Porém se o uso de agrotóxicos ainda seguirá crescente, com um consumo estimado em R$ 56 milhões somente na safra deste ano, há um compromisso de reduzir o impacto ambiental, preocupação muito comum entre os estudantes de Agronomia, que querem evitar a aplicação dos produtos em áreas próximas a povoações, mananciais e reservas de preservação permanente.
 
A "Carta de Uruçuí", que contempla todas as preocupações dos segmentos sociais e do poder público reunidos no seminário, foi assinada por representantes de 16 instituições públicas e da sociedade civil: Centro de Referência em Saúde do Trabalhador, Sindicato dos Produtores Rurais de Uruçuí, Sindicatos dos Trabalhadores Rurais de Uruçuí, Baixa Grande do Ribeiro e Ribeiro Gonçalves, Ibama, Secretaria Estadual do Meio Ambiente, Sebrae, Ministério Público do Trabalho, Federação da Agricultura do Estado do Piauí, Federação dos Trabalhadores na Agricultura do Estado do Piauí, Associação Comercial do Cerrado Piauiense, Gerência do INSS, Crea, Superintendência Federal da Agricultura e Superintendência Regional do Trabalho e Emprego.
Tags:
Imprimir